Os discípulos de Jesus ungiam os enfermos com óleo, e os curavam.

Marcos 6: 13
 “E expulsavam muitos demônios, e ungiam muitos enfermos com óleo, e os curavam”.

Quero pedir a você que confira essa referência bíblica para certificar de que não fizemos uma postagem errada, embora eu tenha conferido nas versões que tenho a minha disposição, mesmo assim, pode ser que nos equivocamos. Claro que não há equívoco nenhum, o texto está corretíssimo e ele diz exatamente o que está escrito – os discípulos expulsavam demônios e quando ungiam os enfermos com óleo, os enfermos eram curados. Se o texto está correto, e sendo ele um texto bíblico, então, indiscutivelmente, se trata da Palavra de Deus, portanto isso significa que, de fato, ocorreu, mas…, a pergunta que não quer calar é: porque não vemos isso acontecer mais em nosso meio (evangélico)?

Poderíamos conjecturar sobre o assunto por diversas páginas, mas, como sou muito sincero com as palavras, vamos direto ao ponto para evitar que os leitores se enfadem. Somente no texto bíblico em questão, podemos apontar três razões que levam essas “coisas” não acontecerem mais em nossos dias.

A primeira observação que fazemos em sobre a questão de pessoas endemoniadas. Já perceberam como o Senhor Jesus dá ênfase neste assunto quando outorga poder aos Seus discípulos? Por diversas vezes Ele diz que os demônios devem ser expulsos, então isso significa que os demônios fazem das pessoas suas habitações e que eles não vão “desocupar a casa” com qualquer conversa. Nesta questão de endemoniados, uma coisa me intriga. Não há mais endemoniados no século 21? Será que os demônios viram no que se transformou o ser humano e não querem mais “morar” neles? A conclusão só pode ser essa – o ser humano atingiu um nível de maldade tão alto que nem os demônios querem saber deles. Claro que a razão não é essa. Não vemos mais endemoniados em nosso meio porque os demônios estão se sentindo a vontade dentro de muitas igrejas. Embora tenham o nome de igreja, os cultos que se realizam nelas não aborrecem, em nada, Satanás e seus demônios.

A segunda observação aponta para a unção com óleo. Ainda que essa prática esteja ativa em nosso meio, não vemos os efeitos que ela deveria produzir nas pessoas. A unção com óleo foi banalizada por algumas igrejas e passaram a ungir as pessoas sem o menor critério. Critério, tanto para quem unge como para quem é ungido e, o resultado de uma atitude assim só pode ser um: nada acontece. E, quando o que foi ungido não vê resultado da unção, o “obreiro”, sem dúvida, vai dizer que o óleo estava vencido.

Enfim, nos resta falar da cura. Mas, a conclusão que chegamos é que esse poder é totalmente “inútil” nos nossos dias. Diante de uma tecnologia cientifica extremamente avançada e de uma medicina de tem remédio para todos os males, o que uma “oraçãozinha” e uma imposição de mãos pode fazer?

O que está faltando a muitos crentes é crer com convicção de que Jesus é o mesmo ontem, é o mesmo hoje e continuará sendo o mesmo eternamente. Se Ele nos deu poder, então usemos esse poder para honra e glória do Nome dEle.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Nota: Evidentemente que o texto não expressa o que vivemos. O texto é uma crítica sobre o que temos visto por aí nas igrejas.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.