Equilíbrio e bom-senso quanto aos dons.

I Coríntios 14: 32
 “E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas”.

Na série de exortações que Paulo aplicou à igreja de Corinto, ele enfatizou a questão do uso adequado dos dons espirituais e, sobre o exercício dos dons ele adverte o crente de que nenhum dom deve ser exercitado como se o crente estivesse em transe. Paulo ensina que o espírito do profeta, no caso do dom de profecia, está sujeito ao profeta, isto é, o crente quando em exercício do dom jamais deve perder o controle sobre suas ações, sentimentos e pensamentos. Deus não quer que o exercício dos dons seja realizado fora da racionalidade humana.

O pastor Elinaldo Renovato, no seu livro de apoio, enumera alguns erros que o profeta deve evitar durante o exercício do dom. Em primeiro lugar, o profeta (o verdadeiro profeta) deve estar ciente de que a profecia não é algo que influencie as pessoas a se comportarem em conformidade com a vontade do homem. Nenhuma profecia tem como objetivo a direcionar as decisões dos crentes naquilo que concerne a administração da igreja local, ou seja, é muito comum (infelizmente) alguns profetas usarem o dom para induzir os crentes a apoiarem alguma decisão da liderança e, para ficarmos de queixo caído, em alguns casos são decisões que contrariam a própria Palavra de Deus.

Em segundo lugar, o profeta deve estar em constante em vigilância para evitar que seja endeusado pelos irmãos da igreja, ainda que alguns irmãos o vejam como um “deus”, o profeta não pode permitir que isso penetre em seu coração, pois, é muito comum, que na igreja, alguns irmãos só fazem seus negócios ou, até mesmo, os seus deveres após consultar o “homem de Deus”. Algum tempo atrás eu presenciei tal atitude de um irmão mediante a necessidade de outro. O irmão disse que só ia ajudar o outro após o “pronunciamento” do profeta. Essa atitude é pior do que fazer da profecia um oráculo, ela contraria o que a própria Palavra de Deus nos ensina – “Não digas ao teu próximo: Vai e torna, e amanhã to darei, tendo-o tu contigo”.

Em terceiro lugar, nós vemos algo que ocorre com muita frequência no meio pentecostal, é o querer fazer da profecia uma doutrina e, isso é completamente inadmissível. Por isso, é imprescindível que haja em nosso meio, crentes com o dom de Discernimento de espíritos, para desmascarar certas profecias que querem acrescentar, diminuir ou modificar as doutrinas bíblicas. “Nenhuma profecia pode acrescentar ou retirar o que já foi revelado nas Sagradas Escrituras. Quem o fizer, incorre no perigo de ser punido por Deus”.

E, por fim, o todo e qualquer dom deve ser exercitado na igreja sem que o profeta perca a racionalidade. O exercício dos dons espirituais na igreja não é uma manifestação do Espírito Santo onde Ele deixa os que são portadores dos dons em êxtase ou em estado hipnótico, muito pelo contrário, os portadores dos dons espirituais ficam o tempo todo em que estão em exercício dos dons em total consciência.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dons Espirituais e Ministeriais – Elinaldo Renovato (CPAD)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.