A conversão manifesta a tristeza pelo pecado.

II Coríntios 7: 10
 “Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte”.

Paulo deseja que os crentes de todas as épocas, estejam cientes de existem dois tipos de tristezas: um que se caracteriza como tristeza autêntica; ela é causada pelo pecado e conduz ao arrependimento. Consiste numa mudança de atitude, que nos leva a voltar-nos contra o pecado, e para Deus. Esse tipo de arrependimento leva à salvação. O segundo tipo de tristeza se caracteriza como um sentimento de remorso. Os que não se arrependem se entristecem repetidamente devido às consequências do seu pecado; tal tristeza conduz à morte e à condenação eternas. Na teologia paulina, o arrependimento do pecado e a fé em Cristo são responsabilidades humanas quanto à salvação – “Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos céus”.

O significado básico de arrependimento (gr. metanoeo, a metanóia da língua portuguesa) é voltar-se ao contrário; dar uma volta completa. Trata-se de abandonar os maus caminhos e voltar-se para Cristo e, através dEle, para Deus. Então, biblicamente metanóia significa arrependimento e não, somente, uma mudança de pensamento como alguns irmãos insinuam quando fazem o uso do termo em suas pregações.

A decisão de abandonar o pecado e querer a salvação em Cristo importa em aceitar a Cristo não somente como Salvador da penalidade do pecado, mas também como Senhor da nossa vida. Por conseguinte, o arrependimento envolve uma troca de senhores; do senhorio de Satanás para o senhorio de Cristo e da sua Palavra – “Para lhes abrires os olhos e das trevas os converteres à luz e do poder de Satanás a Deus, a fim de que recebam a remissão dos pecados e sorte entre os santificados pela fé em mim (Jesus Cristo)”.

O arrependimento é uma decisão livre, da parte do pecador, possibilitada pela graça divina capacitadora que lhe é concedida quando ele ouve o evangelho e nele crê. A definição da fé salvífica como mera confiança em Cristo como Salvador é totalmente inadequada, ante a exigência do tipo de arrependimento feita por Cristo. Definir a fé salvífica sem incluir um rompimento total com o pecado é distorcer fatalmente o conceito bíblico da redenção. A fé que inclui o arrependimento é uma condição imutável para a salvação – “E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor”.

O arrependimento foi uma mensagem básica na pregação dos profetas do Antigo Testamento, de João Batista, de Jesus Cristo e dos crentes no Novo Testamento. A pregação do arrependimento sempre deve acompanhar a mensagem do evangelho.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.