Os autores bíblicos escreveram inspirados pelo Espírito Santo.

II Pedro 1: 21
 “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.

Pedro afirma a divina origem e autoridade das profecias da Escritura. Todos os crentes devem, de modo semelhante, manter um conceito firme e final da inspiração e autoridade das Sagradas Escrituras. E, as razões para isso são óbvias, pois, é a única maneira de nos mantermos fiéis ao que Jesus Cristo, os apóstolos e a própria Bíblia ensinam a respeito das Escrituras; sem uma convicção inabalável nas Sagradas Escrituras, a igreja fica sem alicerce autêntico e seguro para sua fé, sem certeza da salvação, sem valor moral absoluto, sem mensagem garantida para pregar, sem nenhuma certeza do batismo no Espírito Santo e da operação de milagres e nenhuma esperança da volta iminente de Jesus Cristo.

Se não mantivermos uma firme convicção nas Sagradas Escrituras, não teremos nenhuma verdade absoluta e objetiva, baseada na autoridade do próprio Deus, com a qual possam julgar e rejeitar os valores movediços deste mundo, as filosofias humanas e as práticas ímpias da cultura mundana – “A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre”. Sem uma convicção inabalável nas Sagradas Escrituras, o crente não tem condições de suportar as terríveis dificuldades dos últimos dias. Sem uma convicção inabalável nas Sagradas Escrituras, ficam enfraquecidas a plena autoridade e as doutrinas da Bíblia; em consequência disso, ela será substituída pela experiência religiosa subjetiva humana, ou pelo raciocínio independente e crítico, também humano.

Assim como a Escritura não é de origem humana, ela também não é o resultado da vontade humana. A ênfase na expressão é que nenhuma porção da Escritura foi produzida porque os seres humanos assim o quiseram. A Bíblia não é o produto do esforço humano. Na verdade, os profetas às vezes escreviam o que não conseguiam entender completamente – “Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada, indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir e a glória que se lhes havia de seguir“, mas, apesar disso, foram fiéis em escrever o que Deus lhes revelou, movidos pelo Espírito Santo.

Portanto, o Espírito Santo é o autor e o criador divino, aquele que produziu as Escrituras. Somente no Antigo Testamento, os escritores referem-se mais de 3.800 vezes aos seus escritos como as palavras de Deus. Embora os escritores fossem mais ativos do que passivos no processo de composição da Escritura, Deus, o Espírito Santo, supervisionou-os para que, usando sua própria personalidade, processos de pensamento e vocabulário individuais, cada um deles escrevesse e registrasse sem nenhum erro as palavras exatas que Deus queria que fossem escritas.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Bíblia de estudo Aplicação Pessoal
– Bíblia de Estudo MacArthur

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.