A Palavra de Deus possui suprema autoridade na vida do cristão.

Mateus 5: 17-18
 “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido”.

É impressionante a influência que uma visão equivocada da Sagrada Escritura promove na vida daqueles crentes que entendem que o Antigo Testamento não se aplica ao crente nos dias de hoje. Ora, se o próprio Senhor Jesus disse claramente que não veio abolir a lei, isso quer dizer que elas se aplicam aos dias modernos. Evidentemente que nem todas as leis do Antigo Testamento ainda se aplicam, no seu aspecto literal, a nós hoje. Não podemos nos esquecer que, biblicamente, havia três categorias de leis: a cerimonial, a civil e a moral.

A lei cerimonial diz respeito especificamente à adoração por parte de Israel – “Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando algum de vós oferecer oferta ao Senhor, oferecereis as vossas ofertas de gado, de vacas e de ovelhas. Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá macho sem mancha; à porta da tenda da congregação a oferecerá, de sua própria vontade, perante o Senhor”. O ritual dos sacrifícios tinha, como propósito primário, apontar adiante, para Cristo, portanto, não seria mais necessário depois da morte e ressurreição de Jesus. Mesmo não estando mais ligados à Lei cerimonial, os princípios que constituem a base da adoração — amar e adorar ao Deus Santo — ainda se aplicam. Jesus foi frequentemente acusado pelos fariseus de violar a lei cerimonial.

A lei civil se aplicava à vida cotidiana em Israel – “Quando emprestares alguma coisa ao teu próximo, não entrarás em sua casa para lhe tirar o penhor. Fora estarás, e o homem, a quem emprestaste, te trará fora o penhor”. Pelo fato de a sociedade e a cultura modernas serem tão radicalmente diferentes das daquele tempo, esse código como um todo não pode ser seguido. Mas os princípios éticos contidos nos mandamentos são atemporais, e devem guiar nossa conduta. Jesus demonstrou estes princípios por meio de sua vida exemplar.

A lei moral (como os Dez Mandamentos) é a ordem direta de Deus, exige uma obediência total, pois revela sua natureza e vontade. Assim, ainda é aplicável em nossos dias. Jesus obedeceu completamente à lei moral.

As leis morais e cerimoniais de Deus foram dadas para ajudar as pessoas a amar a Deus com todo o coração e entendimento. Ao longo da história de Israel, porém, essas leis foram frequentemente citadas erroneamente e mal empregadas. Na época de Jesus, os líderes religiosos haviam transformado as leis em um conjunto confuso de regras. Quando Jesus expôs seu entendimento acerca da Lei de Deus, na verdade, estava reconduzindo as pessoas ao proposito original para o qual a lei fora criada. Jesus não criticou a lei, mas os abusos e excessos a que os homens a sujeitaram – “Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.