O Espírito Santo abre o entendimento para compreensão da Bíblia.

João 14: 26
 “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”.

Jesus existia antes de sua encarnação e continuou a existir depois de sua ascensão; mas durante o período intermediário exerceu o que poderíamos chamar sua missão “temporal”, e para cumpri-la veio ao mundo e, havendo-a efetuado, voltou para o Pai. Da mesma maneira o Espírito Santo existe antes da fundação do mundo, pois é Deus, e, veio ao mundo em um tempo determinado, para uma missão definida, e partirá deste mundo quando sua missão tiver sido cumprida. Ele veio ao mundo não somente com um propósito determinado, mas também por um tempo determinado. Nas escrituras encontramos três dispensações gerais, correspondendo às três Pessoas da Divindade. O Antigo Testamento é a dispensação do Pai; o ministério terrestre de Cristo é a dispensação do Filho; e a época entre a ascensão de Cristo e sua segunda vinda é a dispensação do Espírito.

O Espírito Santo é o ‘representante’ de Cristo; a Ele está entregue toda a administração da igreja até a volta de Jesus. Jesus sentou-se no céu onde Deus “sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja“, e o Espírito desceu para começar a obra de edificar o corpo de Cristo. O propósito final do Consolador é o aperfeiçoamento do corpo de Cristo. A crença na direção do Espírito estava profundamente arraigada na igreja primitiva. Não havia nenhum aspecto da vida em que não se reconhecesse seu direito de dirigir, ou em que não se sentisse o efeito de sua direção. A igreja entregou inteiramente sua vida à direção do Espírito; ela começou a rejeitar as formas fixas de adoração, até que no fim do século, a influência do Espírito começou a declinar e as práticas eclesiásticas ocuparam o lugar da direção do Espírito.

Como sabemos, o Espírito Santo é o agente da salvação. Sendo assim, Ele convence-nos do pecado, revela-nos a verdade a respeito de Jesus, realiza o novo nascimento e faz-nos membros do corpo de Cristo – “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito”. Na conversão, nós, crendo em Cristo, recebemos o Espírito Santo e nos tornamos coparticipantes da natureza divina.

Também é do nosso conhecimento que o Espírito Santo é o agente da nossa santificação. Na conversão, o Espírito passa a habitar no crente, que começa a viver sob sua influência santificadora – “Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?”. Atente para algumas obras que o Espírito Santo realiza, ao habitar em nós. Ele nos santifica, purifica, dirige e leva-nos a uma vida santa, libertando-nos da escravidão ao pecado. Ele testifica que somos filhos de Deus, ajuda-nos na adoração a Deus e na nossa vida de oração; Ele intercede por nós quando clamamos a Deus. Ele produz em nós as qualidades do caráter de Cristo, que O glorificam. Ele é o nosso mestre divino, que nos guia em toda a verdade e também nos revela Jesus e nos guia em estreita comunhão e união com Ele.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Myer Pearlman
– Bíblia de Estudo Pentecostal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.