A leitura da Bíblia conduz o crente a tornar-se parecido com Cristo.

Efésios 4: 13
 “Até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”.

A maturidade espiritual do crente não é estabelecida sobre a ignorância, mas sim no conhecimento, e, quanto maior nossa compreensão da doutrina bíblica, mais fácil será cumprir aquilo que nos é exigido na Palavra de Deus. Quando nos deparamos com pessoas, dentro das igrejas, que regem suas vidas argumentando que a doutrina bíblica é dispensável, elas estão revelando sua ignorância acerca da maneira de o Espírito Santo operar na vida do crente. Algumas destas pessoas dizem que as convicções não são importantes; o que importa é viver da maneira correta. A pergunta é: Como alguém pode viver corretamente se não está convencido da verdade?

No contexto de todo o capítulo 4 da carta aos Efésios, Paulo ensina que a “unidade do Espírito” e a “unidade da fé” são mantidas e aperfeiçoadas quando aceitamos somente a fé e a mensagem dos apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres do Novo Testamento; crescemos na graça, em maturidade espiritual e em Cristo sob todos os aspectos, e quando somos cheio da plenitude de Cristo e de Deus. O aperfeiçoamento da unidade da fé só é possível quando não permanecemos como criança, aceitando “todo o vento de doutrina”, mas, pelo contrário, conhecendo a verdade, e assim sabendo rejeitar falsos mestres; sustentando e falando com amor a verdade revelada nas Escrituras e, andando em “verdadeira justiça e santidade”.

Paulo enfatiza que as pessoas espiritualmente “perfeitas” ou maduras possuem a plenitude de Cristo. Ser espiritualmente maduro, significa não ser “meninos”, os quais são instáveis, facilmente enganados pelas falsas doutrinas dos homens e suscetíveis ao artificialismo enganoso. O crente permanece infantil quando tem uma compreensão inadequada das verdades bíblicas e pouca dedicação a elas. Ser espiritualmente maduro inclui falar “a verdade em caridade”. A verdade do evangelho, conforme apresentada no Novo Testamento, deve ser crida com caridade, apresentada com caridade e defendida em espírito de caridade.

A conservação da unidade da fé, deve basear-se no amor ativo, que procura resolver problemas e reconciliar diferenças através da mútua lealdade e da obediência a Cristo e sua Palavra. Isto significa que crer e proclamar com amor a verdade do Novo Testamento é prioritário em relação à lealdade às instituições e tradições cristãs, aos crentes individuais ou à igreja visível. O esforço para manter a comunhão ou a unidade, jamais deverá invalidar a Palavra de Deus, nem levar à transigência com a verdade bíblica.

A fidelidade às Escrituras está acima de tudo e poderá, inclusive, resultar em pressões de toda a ordem, até mesmo na própria igreja local. Mas no tempo certo, Deus dará o escape necessário àquele que permanecer leal a Cristo e à verdade original do Novo Testamento.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento, Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.