Devocional lição 11/ 1ºtrim 2017, Terça-feira – Temperança sobre a língua.

Tiago 3:2
Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal varão é perfeito e poderoso para também refrear todo o corpo”.

Temperança como virtude do Fruto do Espírito, é autodisciplina, o fim é ter o controle de si mesmo sob a orientação do Espírito Santo. E o que temos aqui, não é um ascetismo pagão ou idólatra, nem a autoflagelação religiosa, mas a total submissão, ou seja, radical sujeição de todo o ser por amor de Cristo. 

Um pastor amigo meu comentou sobre uma senhora de sua igreja que tinha fama de fofoqueira. Passava grande parte do dia no telefone, contando “casos” para todos os que tivessem interesse em ouvir.
Certa vez, procurou o pastor e disse:
– Pastor, o Senhor me mostrou claramente que tenho pecado ao fazer fofocas. Minha língua está perturbando minha vida e a de outras pessoas.
Meu amigo sabia que ela não estava sendo sincera, pois já havia tido outras conversas como essa antes. Com todo cuidado, perguntou:
– O que a senhora pretende fazer?
– Quero colocar minha língua sobre o altar – ela respondeu com fervor piedoso.
Ao que meu amigo replicou calmamente:
– Acho que a senhora não vai encontrar um altar grande o suficiente…  E, com isso, se retirou, deixando-a a sós para refletir sobre o que ele havia dito”. (W.W. Wiersbe)

Essa história se repete em nossos dias.
Paulo ao fazer uso de analogias nos seus ensinos, tinha a intenção de fixar e facilitar o entendimento deles, capacitando os que ouvissem ou lessem, terem uma percepção clara de que aquilo que ele estava ensinando não era impossível de ser praticado.
Todo cristão deve reconhecer que “todos tropeçamos em muitas coisas”, mas os pecados da língua parecem ocupar o alto da lista. O indivíduo capaz de disciplinar a língua demonstra que tem controle sobre o corpo como um todo. Tiago não está enganado ao relacionar os pecados da língua com os pecados referentes ao “corpo inteiro”, pois palavras costumam levar a atos. As palavras impensadas podem destruir vidas. Uma pessoa que faz uma declaração irrefletida pode ver-se envolvida repentinamente em uma briga. Sua língua obriga o resto de seu corpo a se defender.

A pessoa que verdadeiramente deseja ter o fruto do autocontrole em sua vida, deve começar permitindo que o Espírito Santo controle a sua língua. Se Ele controlar a nossa língua, então conseguirá controlar todos os demais aspectos das nossas vidas. A língua que está sob o controle do Espírito Santo, não pode ao mesmo tempo louvar a seu Senhor e Pai e amaldiçoar os homens, que foram feitos à semelhança de Deus.

O Espírito Santo é o poder que opera em nós, aperfeiçoando-nos na santidade e fazendo com que Cristo seja uma realidade viva em nossas vidas. Ele faz isso produzindo em nós o fruto do domínio próprio. Ele mostra-nos que não podemos misturar as trevas com a luz. Ele cria em nós o desejo de nos separar deste mundo pecaminoso, vivendo de uma maneira que agrade a Deus.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.