Devocional lição 04/ 2º trim 2017, Terça-feira – Para Deus nada é impossível.

Lucas 1:37
Porque para Deus nada é impossível

Quando duvidamos da Palavra de Deus, estamos pondo em questionamento a veracidade do que foi dito e a capacidade de Deus realizar como foi dito. A promessa que Deus fez a Abrão foi a de abençoa-lo com um filho legitimo, o texto bíblico é bem claro, “Porque eu a hei de abençoar e te hei de dar a ti, dela, um filho”, a promessa não era a de abençoar o que Abrão e Sarai fizessem, a benção seria uma operação sobrenatural de Deus. O concerto entre Deus e Abraão foi chamado um “concerto perpétuo”. Entretanto, este concerto era passível de ser violado pelos descendentes de Abraão, e assim acontecendo, Deus não estaria obrigado a cumprir as suas promessas. Por exemplo, a promessa que a terra de Canaã seria uma possessão perpétua de Abraão e seus descendentes foi quebrada pela apostasia de Israel e pela infidelidade de Judá e sua desobediência à lei de Deus; por isso, Israel foi levado para o exílio na Assíria, enquanto que Judá foi posteriormente levado para o cativeiro em Babilônia. 

Deus procurou estabelecer o concerto abraâmico com cada geração seguinte, a partir de Isaque, filho de Abraão. Noutras palavras, não bastava que Isaque tivesse por pai a Abraão; ele, também, precisava aceitar pela fé as promessas de Deus. Somente então é que Deus diria: “Eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua semente”. Isaque também tinha de ser obediente para continuar a receber as bênçãos do concerto. Quando uma fome assolou a terra de Canaã, por exemplo, Deus proibiu Isaque de descer ao Egito, e o mandou ficar onde estava. Se obedecesse a Deus, teria a promessa divina: “…confirmarei o juramento que tenho jurado a Abraão, teu pai”. A vida de Isaque, julgada segundo conceito humano, pode parecer inativa, ignóbil e infrutífera, mas os anos de vida imaculada, de oração, de atos graciosos, de ações de graças diárias, em meio a atividades tipicamente pastorais, não devem ser julgados por esse prisma, embora não nos pareçam espetaculares. O caráter de Isaque talvez não tenha exercido nenhuma influência dominante sobre a sua geração e sobre as gerações subsequentes; mas foi suficientemente assinalada e coerente para conquistar o respeito e a inveja da parte de seus contemporâneos. Seus pósteros sempre lhe deram uma honra idêntica à que dão a Abraão e a Jacó.

A promessa feita por Deus a Abraão, sobre ser pai de muitas nações, naquele instante era algo que jamais poderia se concretizar, pois as circunstancias estavam plenamente desfavoráveis: ambos eram velhos e ainda tinha um agravante, Sara sempre tinha sido estéril. Provavelmente, Abraão deve ter pensado: “se eu fosse uns 60 anos mais jovem, talvez essa promessa se cumprisse, mas como um homem velho, casado com uma mulher estéril pode ser pai de nações?”
Do ponto de vista humano essa promessa era um absurdo. Mas o que devemos entender é que Deus não faz promessas de acordo com conceito e capacidade humana, pois somos limitados e impedidos de realizar determinadas coisas. As promessas de Deus são feitas fundamentadas no seu próprio poder.

As impossibilidades são ferramentas que Deus usa para manifestar sua soberania e poder. A psicologia diz que ninguém muda, as pessoas apenas melhoram, mas eu digo com toda convicção que Deus muda! Claro que, temos que querer essa mudança e crer que Deus pode efetua-la através do Espírito Santo.
Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton Figueiredo

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.