Devocional lição 07/ 2º trim 2017, Segunda-feira – Deus transformou a maldição em bênção.

Neemias 13:2
Porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; antes, assalariaram contra eles a Balaão para os amaldiçoar, ainda que o nosso Deus converteu a maldição em bênção

Amonitas e moabitas, são dois povos que surgiram da união incestuosa de Ló com suas duas filhas, e seus descendentes eram inimigos declarados dos judeus. De algum modo, um “misto de gente” havia infiltrado o povo de Israel apesar de purificações anteriores. Foi o “misto de gente” que causou tantos problemas a Moisés e que continua causando problemas à igreja nos dias de hoje. O “misto de gente” é constituído de pessoas não salvas que desejam fazer parte da comunhão do povo de Deus sem crer no Senhor nem se sujeitar à sua vontade. Desejam as bênçãos, mas não as obrigações, pois, ainda anseiam pelas coisas do mundo. 

Balaão era um profeta mercenário que tentou amaldiçoar Israel, mas a cada vez que falava, sua maldição transformava-se em bênção. Por fim, tramou uma forma de derrotar Israel: incentivou os moabitas a ser “sociáveis” e a convidar os israelitas a participar de um dos seus banquetes religiosos, que envolviam imoralidade e idolatria. Balaão sabia que a natureza humana reagiria diante da oportunidade de pecar e que os israelitas desobedeceriam a Deus.

É interessante observarmos que, às vezes a Bíblia enfatiza mais a história de um relacionamento do que a individualidade das pessoas envolvidas no relacionamento. Por exemplo, Rute e Noemi, em uma época individualista, suas histórias são exemplos fundamentais de bons relacionamentos. A cultura, o histórico familiar, a idade e, principalmente, a fé eram muito diferentes. Como sogra e nora, provavelmente tiveram inúmeras oportunidades e motivos para desavenças e momentos de tensão. Entretanto, elas estavam ligadas, uma a outra, por um sentimento muito mais forte do que um simples grau de parentesco. Elas compartilharam grandes tristezas com a perda dos maridos, cultivaram um grande afeto mútuo e demonstraram ter um enorme compromisso com o Deus de Israel.
Rute demonstrou ser uma mulher digna de confiança, quando Noemi a instruiu voltar para seu povo. Noemi abriu mão da amizade de Rute para que esta pudesse ser feliz, no entanto, Rute abriu mão de sua pátria por causa do laço fraternal que unia a duas. Noemi, então, percebeu que Rute não era apenas uma agregada a família. Rute era sua filha, amiga, companheira e confidente. Era uma pessoa em que ela podia depositar confiança plena.

Uma leitura cuidadosa do capítulo 13 de Neemias, revelará que seus atos estavam dirigidos somente a certos indivíduos culpados de desobediência, e não à população como um todo. Sempre existirão aqueles que não corresponderão ao padrão de santidade de Deus, seja porque nunca passaram realmente por uma experiência plena de graça, seja porque, através de sua negligência em relação às coisas espirituais, permitiram-se desviar do caminho que Deus determinou que seguissem. A grave censura dirigida aos indivíduos responsáveis por essas transgressões serviria como advertência para que os demais conservassem a sua integridade e correspondessem ao pacto que haviam celebrado.

Alguém disse com certa propriedade: “Hoje, o mundo encontra-se tão infiltrado na igreja que nos vemos cercados mais de traidores de dentro do que de inimigos de fora. Satanás não está lutando contra as igrejas — ele está juntando-se a elas“.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.