Devocional lição 10/ 3º trim 2017, Segunda-feira – A descida do Espírito no dia de Pentecostes.

Atos 2:1-4
Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem

A Igreja primitiva não tinha nada do que consideramos essencial para o sucesso hoje -propriedades, dinheiro, influência política, status social -, no entanto, ganhou multidões para Cristo e viu a implantação de inúmeras igrejas por todo o mundo romano. Isso se deu pelo poder do Espírito Santo que capacitava seu ministério. Os primeiros cristãos eram pessoas “inflamadas pelo Espírito de Deus”.
Esse mesmo poder do Espírito Santo encontra-se a nossa disposição hoje para nos tornar testemunhas mais eficazes de Cristo. 

Quando Lucas usa a expressão “COMO DE UM VENTO”, ele está usando a simbologia de um acontecimento sobrenatural para dar ênfase a presença e o poder divino entre os galileus ali reunidos, era um poder em forma de dádiva, revestimento de poder entregue aos reunidos para anunciar as boas novas. Provavelmente, a grande maioria dos que visitavam Jerusalém para a Festa de Pentecostes, eram de judeus e homens piedosos. E a multidão ficara maravilhada e atônita com o fato de galileus, por serem de origem rural e terem seus sotaques peculiares, estivessem falando em outras línguas estrangeiras, e falando para povos em seu próprio idioma das grandezas de Deus e do Messias prometido.

O Espirito Santo veio sobre os cento e vinte perseverantes, de forma tão poderosa que os de fora ficavam atônitos e dizendo que eles estavam embriagados. Porém a primeira hora para o judeu começava a 6 da manhã, isto faz entender que este acontecimento estava se realizando sobre as vidas dos cento e vinte ali reunidos, estivesse acontecendo entre as 9 ou 10 horas da manhã, como era costume os judeus jejuarem nos dias de festa até pelo menos a quarta hora, então a embriaguez era pouco provável. Era o poder o Espirito Santo testificando a Jesus Cristo ressurreto!

Mas recebereis a virtude do Espírito, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas

A característica principal dessa promessa é poder para servir e não a regeneração para a vida eterna. Sempre que lemos acerca do Espírito vindo sobre, repousando sobre, ou enchendo as pessoas, a referência nunca é à obra salvadora do Espírito, mas sempre ao poder para servir.

Não podemos ignorar nem desprezar o fato de que, mesmo que uma pessoa esteja em contato com Cristo e seja seu discípulo, contudo, carece do revestimento especial. Ora, se o próprio Jesus Cristo dependeu da capacitação do “Espírito do Senhor para evangelizar os pobres. Curar os quebrantados do coração, pregar liberdade aos cativos, restaurar a vista aos cegos, pôr em liberdade os oprimidos e anunciar o ano aceitável do SENHOR”, qual de nós ousaria recusar esse revestimento?

Os acontecimentos deste Pentecoste marcaram o começo da igreja. Sem dúvida havia muitos crentes antes desse dia, mas só agora passavam a formar “o corpo de Cristo”.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.