Devocional lição 11/ 3º trim 2017, Segunda-feira – O Senhor Jesus Cristo prometeu nos levar para o céu.

Imagem relacionadaJoão 14:3
E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também

De acordo com Jesus, o céu é um lugar real. Não é uma ilusão religiosa, nem o fruto de uma mentalidade doentia e fantasiosa, mas sim o lugar onde Deus habita e onde Ele, Jesus, está assentado à direita do Pai no dia de hoje. O céu é descrito como um reino, uma herança, uma pátria e uma cidade e um lar. Neste exato momento, Jesus Cristo está preparando lugares para todos os que crêem de coração, e cada um desses lugares será maravilhoso. 

 A segunda vinda de Cristo é o assunto mais distorcido e, talvez, o mais desacreditado. Existem os que dizem que Ele nunca voltará aqui novamente. Existem os que marcaram datas para sua volta, enganando as pessoas com falsas profecias. Existem os que não acreditam que Jesus é uma realidade e afirmam que Ele não passa de um personagem bíblico, assim como os demais. Mas, no meio de todas estas pessoas, existem ainda um grupo que, no meu modo de ver, é o pior deles, pois esse grupo está infiltrado na igreja e dizem estar convencidos de que Jesus voltará, mas não vivem de forma coerente a fé que professam.

Em relação a volta de Jesus, que se dará em duas fases, existem dois tipos de crentes: os que vão subir e os que vão ficar. Isso está claro em todo o Evangelho. Jesus enfatizou nos seus ensinos e parábolas que dentro da nação israelita e dentro da “futura igreja”, haveriam dois grupos de pessoas.
Quando Jesus disse que não veio para os sãos, mas sim, para os doentes, Ele não estava dizendo que tem um grupo são e outro doente, o que Jesus estava dizendo é que existe um grupo onde há a necessidade de reconhecer que é doente. Existe uma diferença gritante entre “ser” e “estar”. No primeiro caso implica uma situação permanente, enquanto que no segundo é uma situação transitória, e tanto no aspecto espiritual como no físico, ambas definições se aplicam.
Na primeira situação, ou seja, “ser” doente, implica no reconhecimento da condição permanente de doente, acarretando com isso, um permanente (constante e ininterrupto) “tratamento” onde a cura definitiva só acontecerá na glorificação do corpo físico.
Na segunda situação, o “estar” doente é uma situação transitória (passageira), onde o doente não vê a necessidade da busca pela cura. O doente entende que por ser uma situação passageira, o próprio “organismo” cuidará do combate a enfermidade. Tanto o que “é” doente como o que “está” doente, são pessoas que estão dentro das igrejas. O primeiro crendo e vivendo de acordo com a Sã Doutrina da Palavra e o segundo, crendo, mas vivendo conforme seus conceitos e tradições.

Jesus declarou que um falso cristianismo marcaria os “últimos dias”. Estamos vendo e, em alguns casos, vivendo o ressurgimento de um cristianismo recheado e permeado de filosofias, teorias e conceitos racionais e, com isso, um outro evangelho está sendo anunciado. O engano religioso está assustador.

A Palavra de Deus expressamente adverte que a Segunda Vinda de Cristo, será precedida pelo abandono e subversão da fé verdadeira.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.