A transformação do corpo natural em corpo glorificado.

Imagem relacionadaI Coríntios 15: 42-44
Assim também a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo em corrupção, ressuscitará em incorrupção. Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor. Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual.”

O que nos torna tão perseverantes na caminhada é a fé que norteia nossa vida em todos os sentidos. Nossa fé não é apenas intelectual, ela está evidenciada na nossa vida prática. Nós, não apenas, vemos no sacrificio de Jesus uma verdade, mas acreditamos, participamos e aceitamos como sendo toda a verdade. Nossa fé, não é uma fé morta, ela é a força motriz que nos impulsiona na direção determinada e é capaz de transpor qualquer obstáculo. Nossa fé não é causal, não foi preciso ver para crer, antes, cremos no que ainda não tínhamos visto.

O que nos torna tão perseverantes na caminhada é a convicção da infalibilidade da Palavra de Deus, pois, temos confiança de que todas as promessas que nela estão contidas, expressamente, feitas por Deus, um dia se cumprirão, e que, independentemente, do tipo de material que foi usado para ser escrito, como foi escrito e por quem foi escrito, cremos no poder do que está escrito. Essa convicção proporciona, em nós, um prazer inesgotável e uma satisfação irreprimível em permanecer fiéis até o fim. Estamos convictos e conscientes de que se cumprirmos com o nosso dever e assumirmos nossa responsabilidade como crente, nosso Pai Celestial é suficientemente FIEL para cumprir com suas promessas.

O que nos torna tão perseverantes na caminhada é a total confiança de que o Caminho que se nos apresentou, é o caminho que nos conduzirá ao Céu. A paz, que reina em nosso ser e é consequência da fé depositada nas promessas, nos torna a cada passo que damos, mais e mais inabaláveis. Nada nos surpreende, nada nos impressiona, nada nos intimida, nada nos distrai, seguimos dando um passo de cada vez. Como Jacó estamos indo “ao passo do gado”, estamos sendo “levados” no ritmo cadenciado pelo Espírito Santo.

O que nos torna tão perseverantes na caminhada é o prêmio que alcançaremos no fim da jornada. Como chegaremos ou quando chegaremos não ofusca nossa visão do que nos aguarda, desta forma, não é roupa, não é comida, não é bebida, não é tribulação passada, presente ou futura e nem tesouros deste mundo que vão nos demover desta perseverança, por que, todas essas coisas, só podem causar algum dano ao nosso corpo físico. Não foi a arena dos leões, não foram as fogueiras da inquisição, não foi a perseguição de Hitler, não são as perseguições atuais, não são ameaças e muito menos a intimidação psicológica que nos farão recuar. Nenhuma barbárie contra a Igreja de Cristo é suficientemente forte para apagar a FÉ que nos move. Não há, apenas, uma coroa destinada ao que chegar primeiro, mas uma coroa para cada crente, que perseverando, chegar no Céu.

O que nos torna tão perseverantes na caminhada é sabermos que num abrir e fechar de olhos, teremos nosso corpo completamente transformado, e se, porventura, tivermos alguma marca ou cicatriz feita por este mundo, todas serão apagadas e esquecidas, e, este corpo de vergonha e ignomínia será restaurado a sua forma original e assim, seremos o que, um dia, o Pai Celeste planejou e desejou que fôssemos.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.