Cristo, a revelação final de Deus.

Imagem relacionadaHebreus 1: 2-3
A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas

 

A humanidade está acelerando o processo que encaminha para o fim de todas as coisas. Não estou dizendo que a situação vai escapar do controle de Deus, mas, que, sem dúvida alguma, a humanidade está colaborando de maneira substanciosa para que isso ocorra mais depressa. Isso está evidenciado no comportamento das pessoas em relação ao próximo. Estou me referindo aquelas pessoas que se dizem crentes, crentes não, cristãs.

Outro dia, numa conversa entre familiares, falávamos a respeito de animais de estimação, e como sou muito sincero e determinado na posição que assumo, todos sabem o que penso a respeito deste assunto. Não tenho nada contra e nem maltrato os animais, e, também, não recrimino quem tem, EU SIMPLESMENTE NÃO GOSTO. Mas o assunto, entre nós, tomou uma proporção que me despertou para uma advertência que o próprio Jesus fez “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará”. Ora, nós como crentes, temos a obrigação de amar o próximo, isso é um mandamento, é uma exigência, e, mesmo que o próximo não facilite as coisas, devemos amá-lo. Amar o próximo é o segundo mandamento áureo de Jesus, embora o próprio Jesus vai dizer mais tarde que o amor de muitos esfriaria, isso não é justificativa para o comportamento das pessoas atualmente. O que causa espanto é que as pessoas que tem seus “bichinhos” se exasperam e recriminam quem não tem. E, os que, como eu, não tem seu “bichinho” é taxado de insensível e, pasmem, de desumano.

Esse tipo de comportamento das pessoas, é uma manifestação clara dos sinais do fim dos tempos. Volto a repetir, não estou apontando para o ímpio não, estou falando de crentes. Estou falando de pessoas que professam um cristianismo falido e corrompido, que não é capaz de promover em ninguém nenhum tipo de mudança. Um cristianismo que não anuncia o Evangelho de Jesus e, muito menos, as Boas Novas de Salvação. Um cristianismo sustentado pelo verniz de uma falsa espiritualidade, que, vez ou outra, revela a carnalidade e hipocrisia dos denominados cristãos. Tais pessoas, estão amando mais os seus “bichinhos” que os próprios irmãos da igreja. Desprendem mais tempo com seus animaizinhos do que com a obra de Deus. Gastam mais dinheiro com seus “pet’s” do que com ofertas e dízimos para a manutenção da casa do Senhor. O amor do qual Jesus falou que esfriará, não é o sentimento em si, mas o amor ao próximo. A humanidade está amando sem dúvidas, mas amando as coisas erradas.

O que me tranquiliza é saber que nenhuma Palavra pronunciada por Deus é vã, e, da mesma forma que um juízo está determinado sobre a humanidade, Deus fará justiça aos que tem perseverado firmemente nestes últimos dias. E, mesmo que tenhamos o conhecimento antecipado das coisas que hão de acontecer, o que nos espanta é com o grau de intensidade que elas acontecem.

Deus te abençoe.
Graça e paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

4 thoughts on “Cristo, a revelação final de Deus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.