Abraão, um exemplo de perseverança e fidelidade.

Hebreus 6: 12-13
Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que, pela fé e paciência, herdam as promessas. Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo,”

Um juramento é uma afirmação de um fato ou de uma promessa, geralmente feito perante ou sobre algo (um valor moral) ou alguém que quem o faz considera sagrado (geralmente Deus), como testemunha da natureza vinculativa desta promessa ou da veracidade desta declaração ou fato. Jurar é fazer um juramento, uma promessa solene. (Wikipédia)

Há uma promessa feita ao povo de Deus (igreja) que, mesmo que todos os alicerces do universo se abalem, será cumprida. Essa promessa não foi feita pelos patriarcas, não foi feita pelos sacerdotes, não foi feita pelos profetas e, muito menos, por qualquer escritor sacro, discípulo ou algum seguidor de Jesus, ela foi feita pelo próprio Deus que disse: “Por mim mesmo jurei, diz o SENHOR”. Diante disso, nossa fé e esperança não podem estar edificadas sobre devaneios doutrinários humanos que oscilam constantemente, elas devem estar postas na Palavra de Deus, a qual sabemos que é inerrante, infalível e imutável.

Sem dúvidas, muitas são as causas, da nossa conduta imprópria como crente, não digo a respeito de conduta moral ou de caráter, mas a conduta espiritual e, apesar das inúmeras causas, nenhuma delas podem ser justificadas. Mesmo que os Céus se torne numa muralha impenetrável e, que pareça que nossas orações não estão chegando ao trono da graça; mesmo que tudo ao nosso redor ateste que estamos sozinhos em nossas labutas diárias; mesmo que dores, lágrimas e sentimentos depressivos povoem nossa mente e corpo e, que tais sofrimentos nos levassem a perder algum membro do corpo, ainda assim, devemos estar confiantes na promessa de Deus, pois Ele declarou abertamente para os quatro cantos do mundo e bradou com voz altissonante: “Porque introduzirei o meu povo na terra que jurei a seus pais, que mana leite e mel; e comerá, e se fartará, e se engordará”. ALELUIA!!!

A nossa confiança e esperança não devem ser depositada nas tradições e costumes impostas pela religião que se corrompeu. Não são os meus trajes que vão me conduzir aos Céus, bem como, não é o estilo de penteado ou corte dos cabelos que uso, tampouco, será a minha frequência regular na igreja, pois, não fomos chamados para ir a igreja, mas, para sermos igreja e, por fim, não é a observância rigorosa dos rituais e leis da antiga aliança que tinha aspecto apenas paliativo, o que nos ajudará na jornada em direção aos Céus é a nossa diligência em observar os preceitos de Deus, a nossa fé e esperança na promessa de Deus e a nossa submissão a vontade do Pai.

Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.”

A nossa alegria e exultação não é pelo que nosso Deus faz, mas, pelo que Ele é.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.