O único ofertante suficiente para o sacrifício.

Hebreus 10: 12
Mas este, havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, está assentado para sempre à destra de Deus

As vezes fico imaginando se a liturgia dos cultos no passado era muito diferente dos nossos dias. A liturgia, provavelmente, não era muito diferente, mas os que oficiavam a liturgia sim. E, nesse aspecto podemos englobar até os oficiantes do Antigo Testamento.

Nada do que vou escrever é novidade para os leitores, mas, não adianta sabermos de determinada situação e não tomarmos nenhuma providencia contra ela. Ser somente um crítico não resolve nenhum problema. TEMOS QUE TOMAR UMA ATITUDE!
É bem provável, que muitos de nós, não estejamos em condições de tomar alguma atitude, ou seja, não temos voz ativa, mas uma coisa não pode passar de largo: a nossa posição diante de determinado assunto, isto é, não podemos ser “maria vai com as outras”, devemos ser autênticos e termos personalidade própria.

Voltando aos oficiantes dos cultos, vamos contrastar os de hoje com os do passado, e sempre que possível for, incluiremos um texto bíblico para fundamentar nosso parecer. O principal ponto que vamos abordar é a MOTIVAÇÃO. A quantidade de crentes (vou usar essa expressão para qualquer pessoa que serve a Deus, em qualquer tempo) que, tanto hoje como no passado, realizam a obra de Deus por motivos errados, é um absurdo.

Mas para Caim e para a sua oferta não atentou …”

O que causou a rejeição do culto de Caim não foi o que ele ofertou, mas as condições espirituais em que ele se encontrava na hora em que ofertou. Ora, não nos enganemos, se Deus não recebe o adorador, muito menos, receberá a sua adoração. Não sejamos tolos em imaginar que a adoração de alguém que não se esforça para ter uma vida ilibada diante de Deus, seja recebida por Ele. Pode ser o louvor mais inspirado que existir ou a Palavra mais revelada que há, se o oficiante não estiver com as motivações certas no coração, o máximo que ele conseguirá é agradar a igreja.

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem

Todo culto só é recebido quando a liturgia obedece estes parâmetros, “em espírito e em verdade”, em espírito porque não há outro meio de nos aproximar de Deus e em verdade por que todo culto tem que estar alicerçado na Palavra. “O Pai procura”, isso não quer dizer que nosso Deus sai por aí, de igreja em igreja, verificando se os cultos estão dentro dos requisitos, essa expressão quer dizer que onde estiver um culto verdadeiro, ali, Ele se apresenta e opera com grande poder.

E quando ofertamos ao Senhor um culto cuja origem está nos recônditos do espírito, fluindo de um coração sinceramente contrito, de uma alma infinitamente agradecida pelos favores imerecidos, não precisamos nos preocupar se o nosso culto vai chegar até seu trono, pois Ele vem pessoalmente recebê-lo.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.