A obediência de Abraão em sair para um lugar desconhecido.

Hebreus 11: 8
Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.”

Incontestavelmente, a fé de Abraão é, para nós crente, o maior exemplo. Diferente de Abel, Enoque e Noé, dos quais já falamos, Abraão não teve dentro da sua casa, qualquer ensino religioso a respeito de YHWH. Dizem os historiadores que, tanto Ur como Harã eram centros de adoração da lua. O nome de seu pai, Tera, provavelmente significava “Ter é (o divino) irmão”. Acredita-se que ‘Ter” seja uma variação dialética para o deus lua e era especialmente popular no distrito de Harã como foi confirmado pelos registros assírios.

O fato de Deus convidar Abraão a abandonar aquele estilo de vida, deixa claro que nosso Deus não está interessado em que denominação as pessoas O estão servindo, o essencial é servi-Lo. Nosso Deus sempre esteve à procura dos verdadeiros adoradores e não dos lugares de adoração. Abraão, apesar de, socialmente, estar inserido num povo pagão, espiritualmente não era conivente com as praticas religiosas do seu povo.

Dentro de um ponto de vista lógico, o convite de Deus a Abrão não era, assim, tão transparente. Chamar o cidadão para abandonar família, casa, cidade e terra natal para ir a um lugar desconhecido e, ainda por cima iria tornar aquela pessoa “grande” e próspera, soava como um “ganhar na loteria”. A realidade de Abraão era totalmente inversa do que Deus estava prometendo, a começar por ser uma grande nação. Como poderia dele (Abraão), Deus suscitar um grande povo sendo sua mulher estéril? Como fazer dele um homem rico, sendo ele de uma família humilde? Indubitavelmente, essas questões não pertubaram a mente do patriarca. Ele não perguntou como seria, nem quando se dariam estas coisas. Simplesmente, creu e obedeceu.

Talvez, caro leitor, você esteja se perguntando nessa hora; como alguém pode crer numa promessa de alguém que não se conhece? Vou tentar te responder. Você, quando está em algum culto, já sentiu a ação do Espírito Santo em si mesmo, nos primeiros acordes de um louvor ou, simplesmente, na leitura da Palavra? Ou seja, não foi preciso outros irmãos começarem a glorificar para depois você glorificar também, muito antes dos outros irmãos, o Espírito Santo já testificou em você que aquele louvor ou a Palavra lida era para você. Assim foi com Abraão, não um profeta qualquer que falou com ele, o que ele ouviu foi a voz do próprio Deus e, quando é o Senhor quem fala, nenhuma dúvida nos assombra.

Deus não precisa de um cartão de visita para se apresentar ou se fazer conhecido, Ele é Deus. “Com a sua voz troveja Deus maravilhosamente; faz grandes coisas, que nós não podemos compreender”. Que declaração extraordinária de Jó!

Assim sendo, quando Abraão ouviu aquela voz, imediatamente identificou quem falava com ele. Mas Abraão não deduziu isso pela lógica, com toda certeza ao ouvir a voz de Deus, seu espírito estremeceu e se derreteu dentro de si, dando testemunho de que aquela era a voz de Deus. Ora, se é a voz de Deus, só temos uma opção: OBEDECER.

A fé e a obediência de Abraão foram tão intensas que lhe renderam o título de “amigo” de Deus.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.