A fidelidade de José e a ordem acerca de seus ossos.

Hebreus 11: 22
Pela fé, José, próximo da morte, fez menção da saída dos filhos de Israel e deu ordem acerca de seus ossos.”
Anteriormente eu disse que Deus não escolhe aleatoriamente aqueles que Ele quer usar. A escolha é feita segundo a sua Onisciência. Deus só inclui nos seus propósitos pessoas que, antecipadamente, Ele sabe que executarão o Seu querer. Vale lembrar que, nem sempre, os que Ele escolhe estão aptos para o serviço, antes, terão que ser moldados segundo o Seu parâmetro. Aqui cabe uma pergunta: Você aceitaria ser incluído nos propósitos de Deus se, antecipadamente, soubesse por qual processo iria passar?

Os problemas de José deram início muito antes de Deus falar-lhe em sonhos. Por ser o preferido do pai, seus irmãos, segundo o que está escrito na inerrante Palavra de Deus, o odiaram e não falavam com ele pacificamente e, o relacionamento com os irmãos piorou ainda mais depois que lhe foi concedido os sonhos. Não vamos discutir se ele deveria ou não contar os sonhos, mesmo porque não sabemos se a história tomaria outro rumo, se ele tivesse ficado calado. Os caminhos que nosso Deus tem preparado para cada um de nós trilhar, são inescrutáveis. Só o nosso Pai Celeste pode dizer se a história seria diferente.

Os sonhos de José só tinham uma interpretação: Deus o tornaria grande, poderoso e honrado. Foi isso que José e Israel guardaram no seu coração. Mas como se daria isso, sendo eles uma família pequena, humilde e sem qualquer influência na sociedade em que viviam? Pode ser que José maquinou como poderia chegar ao topo, talvez ele tenha pensado em iniciar uma carreira política e galgaria degrau por degrau até chegar ao poder absoluto. Provavelmente, quando seu pai o enviou aos seus irmãos, ele pensou em conquistar a simpatia deles e assim dar início a escalada ao sucesso. Contudo, se esse era o seu plano, ele foi à bancarrota, pois, seus irmãos o receberam com uma hostilidade brutal e, só não deram cabo a vida dele, porque o irmão mais velho suplicou por ela.

É nesse ponto da história, da vida de José, que começa o processo de lapidação do Grande Ourives. Deus moldaria o caráter, a moral e a personalidade daquele jovem, tornando-o apto a executar todos os propósitos que Deus tinha para com Israel. O processo seria doloroso e, por vezes, até injusto, mas era fundamental para o aperfeiçoamento daquele homem de Deus. Desprezo, injúrias, prisões, calúnias, abandono, perseguições, açoites, lágrimas e dores, esses foram os ingredientes usado para modelar aquele jovem. Então, o próprio José, no final de tudo, sendo o segundo homem no Egito, entendeu que tudo quanto Deus o fizera passar, só tinha um propósito: manter Israel vivo.

Entenda uma coisa meu amado, as promessas de Deus estão condicionadas a um aprimoramento e um aperfeiçoamento nosso, mas que, quem fará isso é o próprio Senhor. Ele nos moldará segundo o que Lhe convier. Não somos nós que definimos o que devemos aprimorar e aperfeiçoar e, muito menos como se dará esse aperfeiçoamento. O processo na maioria das vezes é doloroso, mas, no final é gratificante.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.