O exemplo dos antigos em correr a maratona da fé.

Hebreus 12: 1
Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta

Estamos a pouco, do fim, deste trimestre, onde o escritor aos Hebreus, instruído divinamente pelo Autor da carta, fez severas advertências acerca da apostasia, perigo que ronda, muito de perto, todos os que iniciaram a carreira rumo ao Céu. E agora somos exortados a, pacientemente, perseverar nesta carreira até o destino final, cônscios de que não estaremos sozinhos em nenhum momento desta jornada.

É interessante que ele começa o cap. 12 fazendo, tal como Paulo, uma analogia da jornada cristã com as competições de um atleta. E disso podemos extrair ensinos edificantes que, indiscutivelmente, são úteis para a nossa perseverança.
Todo atleta, em seus treinos, utiliza os mais diversos equipamentos, com as mais variadas finalidades, para que, no final dos treinos, estejam em condições físicas e psíquicas favoráveis para as competições, no entanto, em momento algum da competição, nenhum atleta lança mão do equipamento onde tanto treinou. Na competição o atleta só pode contar consigo mesmo e mais nada. Assim é a vida do crente em Jesus, todo “equipamento” utilizado por ele para fortalecimento da fé, só tem uma finalidade: ENCORAJAR.

Não estamos perseverantes na jornada por causa da fé de Abel, Enoque, Noé, José e Moisés, mas fomos encorajados, por ela, a proceder como eles. A fé, de cada um dos personagens bíblicos, que viveram grandes experiências, que vivenciaram o sobrenatural de Deus e, que cooperaram com o manifestar poderoso de Deus, são para nós ótimos exemplos, mas que só podem produzir em nós o encorajamento, ela, em sim mesma, não nos aproxima de Deus, mas nos encoraja a nos aproximar dEle.

A maneira como Deus opera com a fé de cada um, é pessoal e intransferível. Não há nenhum relato bíblico ou extra bíblico, de que outra muralha tenha sido derribada como a de Jericó. Aqui, a fé que estava em “jogo” era a de Josué e não a do povo. Sim, era a fé de Josué. Ele deveria crer em dois impossíveis: a queda da muralha e a obediência do povo. Foi a fé de Josué que o motivou a, durante seis dias, percorrer o mesmo caminho sem perceber nenhuma mudança na situação. Em seis dias, nada, absolutamente nada, tinha mudado. Mas, a fé de Josué não estava posta em seu comportamento e, sim, na Palavra de Deus. Nenhum outro muro de nenhuma outra cidade ruiu com as mesmas características de Jericó. A fé de Josué nos encoraja a seguir seus passos para que possamos viver experiências similares as que ele viveu.

A grande galeria dos heróis da fé que a Bíblia nos fala, são as testemunhas que nos impulsionam a permanecermos na nossa jornada, sem nos embaraçarmos com as coisas desta vida. Não devemos entender que estes heróis da fé estão testemunhando a Deus acerca de cada um de nós, mas, muito pelo contrário, eles estão testemunhando a nós acerca de Deus. Eles não estão falando a Deus sobre nós, mas, estão falando a nós sobre Deus.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

3 thoughts on “O exemplo dos antigos em correr a maratona da fé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.