Deus está no controle da vida humana.

Deuteronômio 32: 39
Vede, agora, que eu, eu o sou, e mais nenhum deus comigo; eu mato e eu faço viver; eu firo e eu saro; e ninguém há que escape da minha mão.”

O Deus que criou o universo só pode ser um Deus sábio, e um Deus sábio certamente terá um propósito sábio para suas criaturas. Negligenciar e ignorar esse propósito é loucura e contrariá-lo constitui pecado. Mas, como se verifica com certeza o propósito divino?
A história prova que os homens chegam a conclusões muito diversas e que muitas pessoas não chegam a conclusão nenhuma. A experiência demonstra que esse problema não se resolve somente pelos estudos. Alguns não dispõem de tempo suficiente, e outros, ainda que tenham o desejo, não possuem a habilidade. Os sábios são capazes de levantar escadas de pensamentos no esforço de alcançarem as verdades celestiais, mas a escada mais elevada ainda estaria muito aquém da necessidade. O mundo pela sabedoria (filosofia) não conheceu a Deus. As verdades que informam o homem como passar da terra para o céu devem ser enviadas do céu à terra.

Ao ser criado, o homem foi dotado de natureza moral, isto é, a sua vida é regulada por conceitos do bem e do mal. Ele reconhece que há um caminho reto de ação que deve seguir e um caminho errado que deve evitar. Esse conhecimento chama-se “consciência”. Ao fazer ele o bem, a consciência o aprova; ao fazer ele o mal, ela o condena. Isso se dá pelo fato do homem ser dotado de livre arbítrio e, portanto, pode desobedecer àquela voz íntima. Mesmo estando mal orientada, sem esclarecimento, a consciência ainda fala com autoridade, e faz o homem sentir sua responsabilidade.

Compreender a Deus em sua plenitude é tão difícil como encerrar o Oceano Atlântico numa xícara; mas Ele se tem revelado a Si mesmo o suficiente para esgotar a nossa capacidade. Nós, crentes, vivemos, sobremaneira confortáveis e descansados, na onisciência de Deus, pois confiamos plenamente que todas as coisas seguirão seu curso exatamente como foram traçados por Deus. E, que as momentâneas dificuldades, não se comparam ao que nos está reservado nos Céus. Deus é soberano, isto é, ele tem o direito absoluto de governar suas criaturas e delas dispor como lhe apraz. Ele possui esse direito em virtude de Sua infinita superioridade, de Sua posse absoluta de todas as coisas, e da absoluta dependência delas perante Ele para que continuem a existir. Desta maneira, tanto é insensatez, como transgressão, censurar ou tentar mudar os Seus caminhos.

Deus é justo e, Ele não julga como fazem os magistrados que baseiam seus julgamentos em evidencias apresentadas por outros, mas o próprio Deus é quem descobre as evidencias quando sonda mentes e esquadrinhas corações, trazendo diante de Si todas as intenções do coração do homem. Desta forma, mesmo que consigamos iludir as pessoas com nossos atos “piedosos”, sendo coniventes ou fazendo concessões àquilo que Deus terminantemente é contra, não conseguiremos ludibriar a Deus com nossas atitudes aparentemente corretas, porém encharcadas de más intenções.

Não obstante a Bíblia Sagrada ser a inspirada Palavra de Deus, não podemos deduzir que tudo quanto está registrado nela, expressa a vontade soberana dEle. Nunca foi da vontade dEle que o homem se desviasse e continuasse neste processo degradante da dignidade. Deus não é responsável pelo mal.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Fonte: Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.