Entre o casal, o sexo também deve ser prazeroso e satisfatório.

Provérbios 5: 18-19
Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, como cerva amorosa e gazela graciosa; saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê atraído perpetuamente.”

Nem tudo que está registrado na Bíblia Sagrada, pode ser utilizado como regra de fé e prática e, muito menos, pode ser imitado como regra de padrão moral, embora esteja inserido no conjunto das revelações de Deus. A verdade nua e crua estampadas em suas páginas revelam que o homem está, irremediavelmente, enfermo espiritualmente e indiscutivelmente incapaz de cumprir com a vontade do Pai Celeste. Traição, mentira, prostituição, assassinato, etc., etc., são algumas atitudes que os filhos da promessa praticaram, mas que não devem ser seguidas por ninguém.

Os pecados documentados nas Santas Escrituras revelam, por um lado, as fraquezas e os delitos do homem caído, mesmo pertencendo à raça eleita e, por outro, a tolerante misericórdia de Deus na condução, por instrução e por disciplina. O crente, filho de Deus, segue e pratica o que o seu Pai Celeste ensina e ordena. Quando o procedimento do nosso irmão, por mais respeitável que seja, está em desacordo com as Escrituras, não pode ser imitado e muito menos tomado como padrão ético. Admiramos e respeitamos Abraão, Jacó, Davi e Salomão, mas rejeitamos seus erros, repudiamos seus pecados.

Não podemos confundir as coisas. A Bíblia trata de todos os assuntos inerentes ao homem, mesmo que não estejam literalmente escritos ou que não falem diretamente deles, e ela não deixa instruir o homem quanto ao proceder diante de determinadas circunstancias. A sexualidade é um assunto tratado na Bíblia de uma maneira muito natural, não confundamos natural com banalizado ou vulgarizado, e diante dos fatos e personagens que estiveram envolvidos em situações relacionadas ao sexo, a Bíblia nos mostra os dois lados que envolvem a sexualidade, o lado negativo e o lado positivo.
Pelo lado negativo, vemos no que a queda do homem transformou a relação homem-mulher. Aquilo que Deus dera ao homem para um fim prazeroso que satisfizesse a ambos, foi transformado num ato venal, banal e vulgar. E, chegamos a um ponto onde a sexualidade está exposta por todos os lados, para onde nós olhamos, lá tem algo que faz insinuações a sexualidade, seja dissimulada ou explicitamente.

Entre as quatro paredes do quarto de um casal (entende-se homem e mulher), a vida sexual de ambos é uma particularidade exclusivamente deles, é um assunto que não compete a ninguém, senão a eles somente. Contudo, apesar de Deus abençoar o sexo no casamento, nem tudo deve ser praticado pelo casal. Nesse ponto, não acharemos nada na Bíblia que esteja, literalmente, proibindo determinadas práticas, tais como: sexo anal; sexo oral; vídeos pornográficos para “apimentar”; motel, para sair da rotina; “brinquedos” para a autossatisfação, etc., etc., etc., porém, nos vemos confrontados pala Palavra de Deus quando ela assevera que “tudo nos é lícito, porém, nem tudo nos convém”. Isso não é uma questão apenas de consciência, muito pelo contrário, isso é praticar o que Deus não aprova.

Se porventura seu casamento está naufragando nas “águas” da sexualidade, ore a Deus, mas convide seu marido ou esposa a orar juntos. Esse é um tipo de assunto que Deus quer tratar com ambos e, creio que nosso Pai Celeste tem imensa preocupação em que o casal esteja plenamente satisfeito nesta área.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.