A Bíblia proíbe e condena as práticas sexuais ilícitas.

Levítico 18: 6-24
Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne para descobrir a sua nudez. Eu sou o SENHOR. … … … Com nenhuma destas coisas vos contamineis, porque em todas estas coisas se contaminaram as gentes que eu lanço fora de diante da vossa face.”

Uma das maiores dificuldades que temos para entender o assunto desta semana, é que sempre conduzimos o tema – sexualidade – para uma ótica pecaminosa, sim, julgamos que tudo quanto está relacionado a sexo ou sexualidade é pecado ou que o próprio Deus reprova e abomina. Como vimos nos artigos publicados anteriormente, é o próprio Senhor quem criou e dotou o homem para exercer com sabedoria, naturalidade e responsabilidade tudo quanto está relacionado a sexualidade.

Este artigo não tem como objetivo tratar de assuntos que já é do conhecimento de todos. Não vamos falar de adultério, incestos, fornicações, prostituição, zoofilias, pedofilias ou qualquer outro tipo de relação, das quais a Palavra de Deus VEEMENTEMENTE se coloca DETERMINADAMENTE em oposição. Como ouvi de dois irmãos, isso é prego batido com a ponta virada, ou seja, é um assunto que esgotou qualquer possibilidade de argumentação, mesmo porque, nenhuma argumentação é válida ou justificada.

Temos o péssimo hábito de nos desviar, convenientemente, do foco dos assuntos que nos confrontam. Isso mesmo! Quando somos confrontados por algum assunto que revela algum peso na consciência, procuramos, conscientemente, desviar o foco do verdadeiro propósito do assunto e todos os argumentos são fundamentadas em razões justificáveis. Estou falando do tema do artigo – sexualidade. Estou abordando um assunto que, maciçamente, é um tabu dentro das igrejas, é um assunto pessoal, íntimo, individual e confidencial, mas que precisa ser tratado, a luz da PALAVRA de DEUS, com os casais, refiro-me as características do relacionamento sexual do casal.

Há quem diz e ensina que, dentro de quatro paredes, a vida sexual de um casal (crentes) pertence a eles e que ninguém deve se intrometer, sim, de fato, ninguém tem o direito de ensinar ao casal como vão fazer, mas deve, quando se tratar de aconselhamento conjugal, instruir que algumas práticas sexuais estão em desacordo com a Palavra de Deus. Volto a dizer, não estou falando do tipo de relacionamento, mas das características dele.

A palavra “profanar” tem como ideia principal desonrar, macular e ofender gravemente. Sendo assim, nós que agora somos templo do Espírito Santo, não só o coração que é morada, mas todo o corpo agora pertence a Ele, é dEle, para uso exclusivo dEle e para glória e louvor a Ele, devemos ter o máximo de cuidado e zelo com nosso corpo, não só aparentemente, mas com tudo que realizamos através dele, nisso se aplica a sexualidade. Em cada corpo Deus colocou apenas um órgão sexual, UM órgão sexual para os machos e UM órgão sexual para as fêmeas e, indiscutivelmente, se encaixam anatomicamente de maneira esplêndida. Você está entendendo, ou vou ter que desenhar? Boca não é órgão sexual, ânus não é órgão sexual, crente que os usa para esquentar relação, está profanando o templo que agora é do Espírito Santo. Quero entender como alguém que pratica sexo oral, mesmo que seja com marido ou esposa, depois vai louvar ou pregar a Palavra de Deus com a mesma boca.

O que “apimenta” a sexualidade de um casal é fidelidade, lealdade e exclusividade. Nenhum dos cônjuges precisa buscar, externamente, motivação ou incentivo para se amarem.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

One thought on “A Bíblia proíbe e condena as práticas sexuais ilícitas.

  • 9 de março de 2020 em 13:51
    Permalink

    Parabéns! É isso mesmo. Existem muitos imorais que usam essas práticas alegando carícias, alegando que não há pecado quando há consentimento e etc…e sabemos que há casos onde se perde o interesse pelo natural e querem apenas o oral e anal, daí vai surgindo mais perversões até não se satisfazerem mais com o próprio cônjuge.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.