Um dos propósitos do sexo é a multiplicação da raça humana.

Gênesis 1: 28 – 9: 1
E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.” “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos e disse-lhes: frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra.”

Crente não tem porque ficar embaraçado ou envergonhado ao falar sobres sexo e sexualidade. Claro, não estou dizendo que deve ser tratado aberta e escancaradamente em qualquer reunião, deve-se respeitar os que estiverem presentes, ainda mais, se tiver crianças, porém é um assunto que deve ser encarado naturalmente pelos crentes, respeitando-se os irmãos quanto ao tipo de vocabulário a ser usado, não se deve usar nomes vulgares. E, também não estou me referindo a falar da intimidade do casal, intimidade do casal é assunto particular do casal.

Tudo o que Deus faz é bom, e tudo tem como propósito revelar sua Glória. Se diante de assuntos que, possivelmente, nos deixam embaraçados, como por exemplo falar de sexualidade, estamos, no mínimo, dizendo que isto, que foi o próprio Deus quem fez, não é bom. Sempre vamos encontrar os que reagem com exagero diante deste assunto, pois, de um modo geral, a igreja é muito tímida e, isso se explica pelo fato dela pensar que estará violando algum mandamento bíblico. Concordo que a sexualidade vista pelo mundo é completamente banalizada e deturpada, mas, nós cristãos evangélicos, não podemos ver a sexualidade da mesma forma que o mundo vê. Nós vemos a sexualidade como algo abençoado por Deus, cujo um dos objetivos principais é a procriação, leiam e entendam, eu disse “um dos objetivos principais” e não único objetivo.

 A forma como fazemos uso da nossa sexualidade demonstra o quanto conhecemos ou não, a Deus. Se a usamos de maneira que agradamos ao Pai Celeste, demonstramos que conhecemos, ainda que não plenamente, o nosso Deus como Ele o é, mas, se por outro lado, temos feito um uso impróprio da nossa sexualidade, está evidente que não conhecemos a Deus e muito menos Sua vontade para com os homens.

Inúmeros males advêm da desobediência, e isso traz toda sorte de maldições ao homem. “Não adulterarás” – pecado terrível que está ligado a área sexual. Talvez, o impulso sexual não controlado é o maior impedimento na vida espiritual de um homem e de uma mulher. Ele faz com que os céus sejam de bronze e a terra de ferro. Nós estamos vivendo um período em que a lascívia, a pornografia e o erotismo não apenas são aclamados, como também são instrumentos de marketing que a mídia usa para divulgar as questões sexuais, sem medir as consequências que causam às famílias de modo geral. O grande problema é que a lascívia tem também entrado nas igrejas, e muitos que dizem ter o temor do Senhor não conseguem discerni-la, instalando, assim, o caos.

Satanás durante milhares e milhares de anos vem aperfeiçoando suas armadilhas, laços e artimanhas. A Bíblia diz para não ignorarmos as artimanhas, as armadilhas de Satanás. No entanto, existem armadilhas nas trevas. Armadilhas que Satanás tem armado para nos destruir. O alvo dele continua sendo o mesmo: matar, roubar e destruir. Muitos agem como se fossem imunes aos enganos do maligno.

Para que não sejamos vencidos por Satanás; porque não ignoramos os seus ardis.”

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências: O Cristão e o Sexo – Rev. Onézio Figueiredo
Sexo, Bênção ou Maldição – Pr Márcio Valadão

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

One thought on “Um dos propósitos do sexo é a multiplicação da raça humana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.