O planejamento é enaltecido por Jesus Cristo.

Lucas 14: 28-30
Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele, dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.”

Uma das grandes dificuldades que o crente tem, é o de entender que na obra realizada em nossas vidas pelo Espírito Santo, somos cooperadores. O Espírito Santo de Deus não vai realizar em nós nada daquilo que não estivermos buscando ou planejando. O governo de Deus sobre nós, não tem nenhuma característica de um governo tirano ou ditador. Não é do tipo: “Eu mando, você cala a boca e obedece, se não obedecer, te fulmino”.

A parábola proposta por Jesus, neste texto de Lucas, deixa muito claro que, de Deus, não podemos exigir aquilo que é de nossa responsabilidade. Não estou refutando que nosso Deus não é o Deus dos impossíveis, mas que aquilo que é de nossa competência, OBRIGATÓRIAMENTE, deve ser realizado por nós, SE ESTIVERMOS EM CONDIÇÕES DE REALIZAR. A obra salvífica realizada em nós, no dia-a-dia, é de forma sinergética. O poder para realizar é do nosso Deus, mas o querer que se realize em nós, depende de nós.

Jesus deixa bem esclarecido que se não planejarmos minuciosamente nossos projetos, sejam eles da ordem que for, estaremos fadados ao fracasso. Na questão de planejamento familiar, nós crentes, somos responsáveis desde a constituição do casamento até a manutenção de todos os membros. E, como esse assunto está inserido no contexto do assunto da semana passada, Jesus está nos dizendo que não precisamos usar nossa sexualidade apenas para a procriação.

É triste vermos famílias numerosas em tempos de tanta escassez. Alguns chefes de famílias, que não receberam as devidas instruções quanto ao planejamento familiar, usaram a sexualidade apenas para a procriação, pois foram, equivocadamente, ensinados que sexo é só para fazer filhos. Encheram a casa de filhos não tendo uma situação financeira condizente.

Tem certas horas que eu imagino que alguns “crentes” tem uma idéia completamente distorcida de Deus. Sim! Calculo que tais “crentes” pensam que Deus dá uma ordem lá de cima e depois fica se derretendo de rir da nossa situação. Por exemplo, no caso do “crescei e multiplicai”. Será que nosso Deus, em Sua total onisciência, ditaria uma ordem que que estivesse fora do nosso alcance realizar? Será que essa ordem se aplica a um casal recém-casados cujos cônjuges estão desempregados?

Volto a dizer, não estou pondo em questionamento o poder de Deus realizar seus milagres, mas a nossa cooperação para que o milagre se realize.
Alguns dos os milagres que Jesus realizou teve a cooperação do homem: “Levanta-te, toma a tua cama e anda”; “Vai ao tanque de Siloé e lava-te”; Vai-te e te mostras ao sacerdote”; “Não entres na aldeia”; enfim, vemos que para sermos participantes das bênçãos de Deus, devemos cooperar para que elas nos alcancem.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.