A bênção financeira tem a ver com a nossa fidelidade a Deus.

Malaquias 3: 7-10
Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai vós para mim, e eu tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança.”

A grande maioria dos crentes hoje são cópias exatas dos judeus no passado, na questão do comportamento espiritual. Quando alguma palavra confronta as suas atitudes, eles tentam se desviar da questão, questionando a interpretação da Palavra.

Deus não sai por aí abençoando as pessoas à revelia, suas bênçãos materiais e espirituais são destinadas aos que confiadamente esperam nEle. É impossível alguém que não confia e nem acredita no poder de Deus, esperar dEle alguma benção, algum benefício ou alguma recompensa. Sendo assim, alguns crentes de hoje estão afoitos pelas bênçãos sem se incomodarem se estão agradando ou não o Abençoador.

Muitos judeus julgaram que por simplesmente serem judeus tinham todas as regalias de filhos. Não entenderam que a lei era exclusivamente para eles, isto é, eles deveriam ser os primeiros a cumprirem-na, para depois exigir dos outros. Todas as exigências de Deus deviam ser, em primeira mão, atendidas por Israel. Todos os mandamentos do Senhor deviam ser, primeiramente, observado pelos judeus. Assim é com a igreja hoje, toda a Palavra de Deus deve ser “degustada”, a qualquer tempo, em primeiro lugar, pela Igreja do Senhor, mas infelizmente, temos muitos crentes que foram instruídos precariamente e, por isso, desconhecem as bênçãos que estão à sua disposição e como alcança-las.

Fidelidade a Deus é o passo primordial que devemos dar em direção as bênçãos. Isso é uma promessa do próprio Senhor. Mas, acontece que, as pessoas roubam de Deus e ainda esperam serem abençoadas. Não me refiro apenas a dizimo e ofertas, falo de adoração, de louvor, de fidelidade, de devoção, de amor, de submissão e de obediência. Não fazem nada para agradar a Aquele que é dono e criador de todas as riquezas e ainda querem ser beneficiados. Não se esqueça – Deus não Se deixa escarnecer. Podemos ter as atitudes mais louváveis pelos homens, mas se nossa motivação estiver errada, Deus a conhecerá.

Nosso Deus pede para que façamos prova dEle. Entenda que é prova que Ele manda, e não uma negociata. O salmista declara que nunca viu um fiel (justo) desamparado, e realmente isso nunca existiu e nunca existirá. A partir do momento que passamos a agir com fidelidade a Deus as portas dos Céus se abrem e, todas as coisas que estão sobre nossa administração começam a prosperar. Devemos ter em mente que não existe uma fidelidade mais ou menos, ou se é fiel ou não é.

Como o profeta vaticinou: “se quisermos, comeremos o bem desta terra”. Entendeu que a iniciativa é nossa?

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.