Santidade irrepreensível.

I Tessalonicenses 3: 13
Para confortar o vosso coração, para que sejais irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, com todos os seus santos.”

O propósito de Deus em salvar pecadores, é para que estes, além de receberem a salvação, vivam numa constante transformação de caráter para se parecerem cada vez mais com Seu Santo Filho Jesus Cristo. O salvo deve lidar com a sua natureza humana, não como algo que é bom. Essa ideia de que o homem é bom e que só é pecador quando peca, em vez de afirmar que o homem peca porque é pecador é muito perigosa. Negar a pecaminosidade latente no ser humano, dizendo que ele ainda tem em si algum sentimento bom, capaz de levá-lo a ser bom, é uma controvérsia muito antiga.

Por isso, manter-se santificado, é indiscutivelmente necessário, ao crente. Quando o crente reconhece que na vida pregressa, era um pecador e que foi totalmente corrompido pelo pecado, passa a ser mais humilde diante de Deus. Não ousa a reivindicar nada Dele, mesmo por que não possui nada em suas mãos para oferecer em troca. Ao confessar sua pecaminosidade o crente passa a valorizar ainda mais a graça de Deus, pois Ele derramou Seu amor sobre alguém que nunca mereceria. Isso deve provocar no coração do eleito o mais profundo amor por Deus.

O crente vive numa guerra constante com a sua natureza pecaminosa, na qual ele não pode se descuidar. O caminho da santificação é o caminho da militância”. O crente deve estar alerta para essa realidade para que não venha a cair. Contudo, mesmo que por seu descuido venha a cair, deve projetar sua confiança em Deus para se levantar e continuar na militância.

É de suma importância para o cristão e para os interesses de sua santificação, que ele saiba que o pecado não tem domínio sobre ele, e que as forças da graça redentiva, regeneradora e santificadora têm sido produzidas para gerar nele aquilo que é central em seu ser moral e espiritual, ou seja, o templo de Deus através do Espírito, e que Cristo foi formado nele como a esperança da glória”. (John Murray)

O crente deve buscar constante e ardentemente uma vida de santidade, pois só assim atingirá a maturidade espiritual. Deus nos chamou para vivermos em constante crescimento e progresso espiritual, para vermos que quanto mais próximos de Deus estivermos através de uma vida de santidade, com maior nitidez veremos a podridão de nossos pecados.

O crente confirma através de seus atos numa vida de santidade a sua salvação. Ele não apenas diz que é salvo; ele mostra que é salvo. A confirmação aqui se refere ao testemunho de vida. Se alguém diz que tem a certeza da sua salvação, há de provar isso através de uma vida santificada.

Santidade é a única evidência segura de que possuímos a fé salvadora em nosso Senhor Jesus Cristo, e de que, portanto, somos filhos de Deus e é a única prova de que amamos sinceramente ao Senhor (…) Santidade é uma vida de vitória sobre o pecado, pela revelação de que estamos crucificados com Cristo, passando o pecado a ser um acidente de percurso e não mais uma norma, pois não tem mais domínio sobre nós”. (Ivênio dos Santos)

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referência:
A INFLUÊNCIA POSITIVA DA DOUTRINA BÍBLICA DA ELEIÇÃO NA SANTIFICAÇÃO E NA EVANGELIZAÇÃO (Olivar Alves Pereira)

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.