A explicação do culto.

Êxodo 12: 27
Então, direis: Este é o sacrifício da Páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios e livrou as nossas casas. Então, o povo inclinou-se e adorou.”

Cultuar a Deus, significa que temos de reconhecer e acreditar que nossas necessidades, desejos e esperanças tem aspectos secundários da adoração. Deus vem primeiro. Mas devemos reconhecer de uma maneira prática que Ele é Deus soberano, bom e amoroso expressando, no culto, nossas necessidades, desejos e todas as nossas esperanças.

Por toda a Escritura vemos que Deus exige adoração. Ele ordenou que os filhos de Israel construíssem o tabernáculo e depois o templo. Nestes estava a arca da Aliança, frequentemente referida como o Trono da Misericórdia. Era o trono de Deus, e o povo era chamado a comparecer a este lugar, que representava a presença de Deus revelado na sua soberania, sua grande misericórdia, graça e amor.

Bom, hoje o tema é o culto. Não vamos propor uma discussão para saber quem, quando ou como se começou a cultuar a Deus e, muito menos, qual a real finalidade dele. Nossa intenção é deixar claro que o culto foi, é e sempre será um dos meios que nos aproxima de Deus. É através do culto que alcançamos de Deus todos os benefícios. Benefícios que abrangem todas as esferas da nossa vida.

A instituição do culto tinha como objetivo principal manter viva a memória do que Deus tinha feito pelo povo hebreu. De maneira alguma, o povo poderia deixar que a obra realizada pelas poderosas mãos de Deus, se apagasse da memória do povo, sendo assim, em todo culto realizado, o oficiante deveria manter acesa a chama das lembranças da grande obra de libertação operada por Deus.

Contudo, sem deixar de entender que a modernidade é um processo natural da evolução, não das espécies, mas dos tempos, a liturgia do modelo do culto bíblico está sendo substituída pelos conceitos humanos. Não é porque vivemos numa época muito mais evoluída que a do povo hebreu, que podemos realizar um culto completamente destituído dos parâmetros divinos. Não estou me referindo aos rituais litúrgicos, mas a essência do culto em si.

Os cultos de hoje estão divorciados dos parâmetros bíblicos, o objeto de culto hoje não é mais o Deus Todo Poderoso, hoje as pessoas estão mais preocupadas em estarem bem consigo mesmas nos cultos do que se estão realmente agradando a Deus. Desassociaram a fé, do culto, entendem que as palavras, o comportamento e as atitudes no culto, são o cerne da adoração. Por isso entendem que adoração é pular, chorar, sorrir, falar língua estranha, etc., etc., etc. Entendem que se não houver profecias, não aconteceu um culto genuíno. Entendem que o lugar de culto é exclusivamente no templo.

Mas a Palavra de Deus nos ensina de maneira categórica que NÓS SOMOS, AGORA, O TEMPLO, então temos o dever de estar cultuando a todo momento – pela manhã, ao meio dia, pela tarde, sentado, em pé, parado, andando, ao dormir e ao acordar – não precisamos estar, literalmente, no templo, pois nós somos o templo.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.