O maior prazer de Deus é que o pecador se arrependa e converta-se.

Isaías 55: 7
Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar.”

Abandonar uma vida de pecados, é algo que vai muito além do simples fato de não praticar aquilo que caracteriza o pecado. Abandonar a vida de pecados implica em deixar as práticas, pensamentos e sentimentos que, coadunados, encerram os homens em grilhões que só podem ser quebrados com a obra de Cristo na cruz. Abandonar a vida de pecados corresponde a deixar-se ser governado pelo Espírito Santo de Deus, sim, devemos levantar do trono do nosso ego e dar o lugar ao Espírito de Deus, para que Ele nos oriente como devemos governar nossa vida, isso implica obediência total a tudo quanto Ele determinar.

Muito se fala sobre a nossa “dívida” com Deus, que foi paga por Jesus na cruz, mas o assunto não está encerrado neste ato do Senhor. Não resta a menor dúvida que, em hipótese alguma, podíamos quitar tal dívida, nem mesmo se nos déssemos para ser sacrificados – primeiro, por que Deus não aceita sacrifício humano e segundo, por que não existe nenhum homem que cumpra (como animal a ser sacrificado) com todos os requisitos exigidos na Lei de Deus para o sacrifício. Assim, não nos resta outra alternativa que não seja a de aceitar o que Deus nos propõe para a quitação da dívida.

Embora tenha vindo de Deus a iniciativa da quitação de tal dívida, isso não é feito sem um “documento” que comprove que tenhamos aceitado o que Ele propôs, em outras palavras, Deus exige de nós um “recibo” da quitação desta dívida.
– Um recibo? – Sim, um recibo.
– Mas, que tipo de recibo? – Um recibo onde a evidencia da quitação esteja bem definida, sem deixar margem para acusação ou condenação.
– Existe esse recibo? – Sim, existe.
– Como consigo esse recibo? – Abandonando os caminhos, os pensamentos e os sentimentos que são próprios da sua natureza humana.
– Com quem consigo esse recibo? – Com o Espírito Santo de Deus.
Esse “recibo” o Senhor Deus vai exigir de todos os que aceitaram a proposta de pagamento da dívida.

Para comprovar a legalidade e justiça do Seu ato, nosso Deus, assim como nos trâmites legais de uma negociação, fez uma proposta universal – Jesus foi a cruz por toda a humanidade, contudo, não podemos nos esquecer que qualquer proposta só tem validade a partir do seu aceite. Assim, a partir do dia em que demos aceite nesta proposta, começamos a subscrever um recibo que, indubitavelmente, entregaremos ao Nosso Senhor naquele grande dia. E, para que ninguém queira se justificar dizendo que não sabe como emitir este recibo, temos na Palavra de Deus, os parâmetros dele.

A proposta da quitação da nossa dívida com Deus, começou na cruz quando deixamos de andar pelos nossos próprios caminhos, e vai ser efetivada no momento em que abandonarmos pensamentos e sentimentos que desabonem nossa conduta como filhos do Deus Altíssimo. A salvação em Cristo não implica em conhecimento teórico, mas em vida prática.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e paz.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.