Não há razão para a desesperança, pois Jesus Cristo voltará.

Atos 1: 10-11
E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco, os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.”

Para muitos dos que acompanharam o ministério terreno de Cristo, viram a cruz como sendo o ponto final de um “movimento” que tinha tudo para ser bem-sucedido. Inclusive, alguns dos discípulos, assim que terminou todo o “espetáculo” da crucificação, voltaram para seus afazeres de rotina, voltaram para suas antigas vidas, talvez, lamentando sobre a perda de tempo que tiveram ao deixarem suas coisas para acompanharem aquele que, agora, estava morto. Na concepção de alguns dos discípulos, todas as promessas feitas pelo Mestre Jesus, haviam sido sepultadas com Ele. Não havia mais nada que eles pudessem fazer, a não ser, retomar a antiga rotina de vida.

Lamentavelmente, nem tendo as falhas dos nossos irmãos da igreja primitiva como exemplo negativo, hoje, temos irmãos que estão procedendo da mesma forma. Não é raro encontrarmos crentes, em pleno século vinte e um, vivendo de maneira alienada neste mundo enquanto aguardam a vinda do Messias. Deus nunca exigiu dos seus servos que, estes, vivessem distanciados da realidade. Mesmo que não alcancemos a compreensão plena das circunstâncias sociais, culturais, políticas e religiosas, pelo menos, temos o dever de saber que as coisas estão acontecendo e, que em tudo isso, sempre há um propósito de Deus.

Um dos fatores que desencadeou o comportamento dos discípulos após a morte de Jesus, foi a desesperança, para eles tudo havia acabado. O sonho havia chegado ao fim e, o fim não foi como num conto de fadas, antes, foi trágico – O MESTRE MORREU!

A OBRA CONTINUA! Disse o anjo. “O mestre foi assunto ao Céus, mas Ele voltará, e tudo quanto vocês aprenderam dEle, devem dar continuidade até que Ele venha novamente. Mas, importa que façam tudo exatamente como lhes foi ensinado. Não tirem, não acrescentem e nem modifiquem os ensinos, pois conforme lhes foi ensinado assim deve ser transmitido e, isso será exigido de cada um de vocês, quando Ele retornar”.

Uma das verdades imutáveis, na qual estamos assegurados, é que Jesus virá tomar para Si uma “igreja”, um povo e, é lamentável vermos as pessoas nas igrejas vivendo como se isso fosse uma utopia, uma ilusão. Infelizmente, temos muitos “irmãos” conduzindo as suas vidas sem nenhuma confiança na promessa de Jesus, e, falo isso, não por causa de atitudes que possam denegrir o caráter das pessoas, mas, por causa da conduta das pessoas como crentes dentro da própria igreja.

Confiemos que Céu é uma realidade e é o nosso destino.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.