Enquanto aguardamos a Vinda do Senhor, temos de pregar o Evangelho.

Mateus 28: 19
Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo

Todas as vezes que me deparava com este versículo na Bíblia eu ficava deveras encabulado e, me sentia o pior dos crentes, pois, eu não cumpro aquilo que me foi comissionado, ou seja, assim como muitos outros irmãos, eu não arredo o meu pé um milímetro do meu lugar para fazer a obra do Senhor – não vou a lugar algum pregar o Evangelho de Cristo e não batizo ninguém. E, especificamente sobre esse assunto, o de “ir” a todas as nações, creio com toda minha fé, que nosso Deus jamais iria impor alguma coisa que não estivesse ardendo no coração daqueles que O servem. Além do que, se o “ide” é um imperativo que não admite contestação, quem vai ficar na retaguarda amparando os que vão? É inadmissível acreditar que nosso Deus coloque todos os seus “soldados” na linha de frente de uma batalha sem que, antecipadamente, tenha elaborado uma estratégia, através da qual o mundo chegue ao conhecimento da salvação em Jesus Cristo, pelos pés dos que, andando e chorando, semeiam a preciosa semente.

Segundo os estudiosos da Bíblia Sagrada, no original grego o “ide” está no gerúndio “indo”, desta forma a “imperativo” se torna uma condição, isto é, à medida que formos – se pudermos e quisermos ir, devemos ensinar tudo aquilo que a Palavra de Deus tem a ensinar acerca da salvação em Cristo. Havendo tempo hábil, a nossa obrigação é a de fazer discípulos de Cristo, instruindo-os em toda a doutrina da Palavra, principalmente, acerca da necessidade do batismo nas águas.

Claro que, à medida que aprofundamos mais nosso conhecimento sobre os atributos, caráter e amor de Deus, entendemos que, mesmo que não seja uma ordem que não admita recusas, a obra do Senhor tem o aspecto missionário e, por isso, voluntariamente, nos dispomos a realizá-la conforme nossas condições, sem ser peso a ninguém, crendo sempre que o Deus da obra, proverá todas as coisas. Porém, quando há uma ordem direta do Senhor a alguns dos seus servos, estes saem a ensinar, tendo ou não condições (financeiras), confiados estritamente no Deus que os enviou.

O imperativo de Deus não é o “ir”, mas sim, o fazer discípulos, por que tem muita gente “indo”, mas, não estão fazendo nenhum discípulo, o que vemos em número cada vez maior, são igrejas cheias de pessoas vazias. E, isso acontece, não é por que as pessoas não querem nada com a obra de Deus, mas é por que não foram cuidadosamente instruídas nas doutrinas da Palavra de Deus.

SALVAÇÃO NÃO É COMO UMA RECEITA DE BOLO que basta colocar os ingredientes nas devidas proporções. Com cada pessoa, Deus trata de maneira distinta.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.