Deus nos deu as condições para o discernimento de espíritos.

I João 4: 1
Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.”

Satanás é a principal fonte de todo engano e falso ensino disseminado contra a verdade da Sagrada Escritura. Ele não é somente a fonte, mas também toda a inspiração que deturpa a Palavra de Deus tem origem nele. Do Edém até os dias de hoje, ele trabalha arduamente para conduzir as pessoas ao engano com interpretações equivocadas da Palavra de Deus. Em alguns casos, ele se opõe declaradamente e, em outros, ele age dissimuladamente, ou seja, não nega que o que está escrito, porém, distorce de forma que é impossível discernir apenas com o conhecimento humano. O objetivo de Satanás é o de separar o homem de Deus.

Mesmo na condição de crentes, devemos manter um certo nível de ceticismo religioso, em outras palavras o que estou dizendo é que não devemos aceitar com extrema facilidade qualquer “coisa” que um “profeta” entrega na igreja. Claro! Não estou dizendo que devemos descrer de tudo, antes, afirmo que devemos “provar” antes de “engolir”. É interessante observar que em muitos casos somos extremamente cuidadosos com nosso corpo físico no que diz respeito a comer aquilo que desconhecemos. Em muitas ocasiões, deixamos de comer algo que não conhecemos, mesmo tendo uma excelente aparência, por termos medo de que aquilo possa nos fazer mal, contudo, quando se trata de uma mensagem do pregador “fulano de tal” engolimos tudo apressadamente, sem fazer qualquer tipo de exame na mensagem.

Fomos chamados a salvação, mas, nem por isso, o Senhor nos ordena que deixemos de lado ou ignoremos a nossa percepção das coisas. Nosso Deus não quer servos autômatos desprovidos de qualquer tipo de senso, pois, existem determinadas situações em que nem é preciso ter discernimento espiritual do que está acontecendo, basta um julgamento alicerçado no bom senso. O problema é que queremos que Deus revele, mostre ou nos dê sabedoria para agir em circunstâncias que estão patentes aos olhos, de qualquer um, de que são “barcas furadas”.

O termo “provai” tem aplicação, nesta questão, de que, antes de aceitar o que está sendo ensinado ou pregado, tudo deve ser submetido a profundo exame usando como parâmetro a Palavra de Deus. Devemos atentar para essa importante atitude – o parâmetro para se por a prova qualquer ensino ou mensagem é a PALAVRA DE DEUS, não são conceitos ou teorias inerentes de quem faz o julgamento, mas tão somente a PALAVRA DE DEUS.

Ora, estes (bereianos) foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim. De sorte que creram muitos deles, e também mulheres gregas da classe nobre, e não poucos homens.” Precisamos, nestes últimos dias, nos comportar como os crentes de Beréia, eles eram profícuos estudiosos e examinadores da Sagrada Escritura, pois cuidavam para não serem enganados. Eles, facilmente, distinguiam a verdade da mentira. Sejamos mais zelosos com nossa vida espiritual.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.