Bem-aventurados os crentes vigilantes na vinda do Jesus.

Lucas 12: 37
Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa, e, chegando-se, os servirá.”

O versículo acima está contextualizado nos aspectos do casamento judaico da época de Jesus. Naquele tempo, a festa cerimonial de um casamento acontecia, como regra geral, a noite e, as pessoas que estivessem a serviço do noivo naquele dia, deveriam estar preparadas para qualquer tipo de trabalho que lhe fosse solicitado. Sendo assim, deveriam estar com suas roupas cingidas para se movimentarem com rapidez, elegância, destreza e presteza. No entanto, Lucas escreve que quem vai servir é o noivo – o Senhor dos servos, porém, mesmo que no texto não haja qualquer insinuação do que vou escrever, isso pode ser totalmente ensinado – o Senhor, o noivo, só fará assentar à mesa os servos que forem achados aptos para isso.

As batalhas diárias das quais, muitas das vezes, somos protagonistas, não hão de dar tréguas até a vinda de Jesus para resgatar a sua Noiva e, as muitas advertências bíblicas, das quais somos alvos constantes, visam nos despertar para esse momento sublime na vida do crente – ir morar com Jesus no Céu. A questão nesse ponto é que há muito crente adormecido, incauto, negligente, equivocado e, principalmente, desinformado sobre os critérios divinos que estão estabelecidos para esta ocasião. Todo e qualquer crente que se preze, tem que estar preparado para esta ocasião deste o momento em que aceitou a Jesus como Salvador. Desde o dia em que Jesus foi assunto ao Céu, os pregadores têm anunciado a volta do Senhor Jesus para as pessoas de sua própria geração. Ninguém que prega anuncia Jesus para dias vindouros, antes, O anuncia para já.

“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” Muito se fala sobre o que serão os galardões do Senhor para os salvos, porém, será que alguém espera receber recompensa ainda maior do que a de ser recepcionado e servido pelo próprio Jesus? Eu quero que você pense um pouco sobre isso. Imagina uma pessoa muito ilustre, uma pessoa que você estima muito por causa do caráter, personalidade, carisma e, enfim, uma infinidade de virtudes, imagina que essa pessoa muito ilustre te “contrate” para o servir, e que em um determinado dia, depois de a servir por muito tempo com fidelidade, em que você chegar para trabalhar, tal pessoa te diga: – assenta-te à minha mesa, pois hoje te recompensarei por tudo quanto tens feito por mim. Hoje eu te servirei!

Algo extraordinário no texto não pode passar sem comentário. O texto nos informa que o Senhor ao servir os seus servos, cinge-se, isto é, ele vai se portar como um servo. A Sua postura humilde denota que Ele tem plena consciência de que os que estão diante dEle, sentados à Sua mesa são pessoas que O serviu com integridade e fidelidade. Nosso Rei ministrará a seus servos fiéis quando se encontrar conosco em sua volta e nos recompensará por nossa fidelidade.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Expositivo do Novo Testamento – W. W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.