A vigilância diz respeito também contra os falsos profetas.

Atos 20: 31
Portanto, vigiai, lembrando-vos de que, durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar, com lágrimas, a cada um de vós.”

Com toda certeza, não existe nada que decepcione um mestre senão o fruto do árduo trabalho ser negligenciado de forma displicente. Ensinar não é apenas transmitir conhecimento. A arte de ensinar exige do mestre tempo, dedicação, zelo e, acima de tudo, amor, muito amor. Ensinar é se esforçar para que, aquele que está aprendendo, não somente assimile com seu intelecto sobre determinado assunto, mas que venha entender profundamente aquilo que se está aprendendo. Nem tudo na vida é uma ciência exata, por isso, nem todos vão entender como determinadas coisas funcionam.

Na esfera espiritual, a nossa vida não difere muito da secular. Muitas coisas, senão todas, que vivenciamos no dia-a-dia, são facilmente explicadas na esfera espiritual. Tudo aquilo que nos rodeia no campo físico tem aplicações espirituais, ou seja, os acontecimentos em ambas as esferas, física e espiritual, têm relações diretas entre si. Por exemplo: a desertificação do planeta Terra não está relacionada somente ao que os cientistas dizem sobre aquecimento global, camada de ozônio, aproximação do planeta com o Sol, enfim , e outros tantos motivos infundados, o problema é espiritual, isto é, nada do que o homem fizer resolverá a situação do nosso planeta, todos estes problemas só terão fim quando o pecado for extinto da natureza humana; a crescente violência, o desamor incontrolável, o individualismo acirrado, o egoísmo exacerbado e outros inúmeros males do individuo não é uma questão puramente psicossocial, isso é um problema espiritual, nada disso se trata com consultas e orientações médicas ou medicamentos, isso só será resolvido quando, da humanidade, for exterminado o pecado. Enquanto não olharmos para os problemas e admitirmos que a única solução para eles vem de Deus, pereceremos indubitavelmente. Estamos perecendo e continuaremos neste progressivo e inevitável caminho se não atentarmos enfaticamente para isso.

O ato de estar vigilantes a todos os instantes requer um dispendioso e cauteloso trabalho da parte de quem vigia. Vigiar não requer somente atenção daquele que está nesta posição, implica, também, em se preparar e permanecer preparado para essa tarefa. Aquele que vigia tem que ter discernimento daquilo que é realmente perigoso, aquilo que porá em risco sua vida e dos que estiverem sobre seu cuidado. Aquele que vigia deve estar munido de equipamentos ou “armas” que o auxiliem na defesa, para preservação de sua integridade física ou, se for necessário, para atacar e sobrepujar-se ao perigo. Aquele que vigia deve ser destemido, ousado, intrépido e valente. Aquele que vigia não recua nem se deixa abater pelas circunstâncias.

Por isso, quando recebemos o ensino da Palavra de Deus, isso não é feito para um simples enriquecimento do nosso conhecimento. Deus não quer que o homem apenas chegue ao conhecimento da VERDADE, acima disso, Ele quer que vivamos e pratiquemos tudo quanto tem nos instruído na Sua Palavra e, como isso não é um ato instantâneo, mas um processo que, em alguns demora mais do que deve, somos exortados a estar vigilantes para que o adversário não roube o que foi depositado em nossa mente e coração.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.