A vigilância deve estar acompanhada de oração.

Colossenses 4: 2
Perseverai em oração, velando nela com ação de graças

Estamos inclinados, pela nossa natureza decaída e pelos ataques de Satanás, a ser negligentes com nossa conduta como servos de Deus. E, essa conduta não pode ser vista apenas na forma de como nos vestimos, andamos, falamos ou pensamos, ela deve estar evidenciada pela maneira como nos comportamos diante das orientações, conselhos, advertências e exigências da Palavra do Senhor – Bíblia Sagrada, sabendo que não existe nada mais valioso do que uma vida de oração e adoração ao Senhor de todas as coisas.

“Perseverar” denota fidelidade, insistência e dedicação a uma vida voltada para a oração. Não estamos falando de um discurso pronto e decorado para ser repetido todos os dias na hora de deitar, estamos falando de uma conversa sincera, aberta e humilde com Deus. A oração é m dos sinais de uma vida submissa à vontade de Deus, pois, nós sabemos que Deus pela sua onisciência, sabe todas as coisas muitos antes delas serem formadas em nosso coração – “Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó SENHOR, tudo conheces”, mas, isso não pode ser argumento para termos uma vida negligenciada na questão de orar.

A oração é a ferramenta mais eficaz do crente. Por causa de uma oração, até a natureza teve seu curso modificado por um breve tempo – o “sol” parou; a chuva cessou; o morto reviveu; o cego viu; o que via, cego ficou; o coxo andou; o enfermo sarou; o que estava perdido, se achou, enfim, pela oração Deus move a eternidade e todos os alicerces do mundo. Embora, Deus não atenda todas as orações de imediato, isso não quer dizer que devamos desistir. O prazer do nosso Deus é atender nossas súplicas, contudo, em algumas ocasiões, a demora da resposta é para por em prova nossa devoção e persistência.

A orientação que Paulo dá aos crentes de Colosso é a de continuar orando ainda que não tenha sido atendido e, acima disto, não fazer da oração um pedido apenas, a oração deve ser acompanhada de adoração como se já tivéssemos sido atendidos. A oração do crente fiel é feita já incluída nela o agradecimento. A verdadeira oração requer energia e vigilância, duas coisas que só podem vir do Espírito Santo de Deus.

A palavra “velar” implica em manter acesa a “chama” da oração, indiferente da circunstância que estejamos vivendo; implica em estar vigilante tendo a Luz do Espírito Santo como um auxílio no discernimento de todas as coisas; e, implica em ser zeloso na atitude de estarmos buscando incansavelmente o Senhor.

Por fim, a oração deve, ainda, ser grata. As ações de graças são um ingrediente importante para a oração eficaz. Quem apenas pede e nunca agradece a Deus por suas dádivas é egoísta. A gratidão sincera a Deus é uma das melhores maneiras de acrescentar fervor à oração.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – W. W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.