Obra de sacrifício e oração.

Hebreus 5: 7; I Tessalonicenses 5: 17; João 17: 1-9
O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia” “Orai sem cessar” “Jesus falou assim e, levantando seus olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti; Assim como lhe deste poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer. E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse. Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua palavra. Agora já têm conhecido que tudo quanto me deste provém de ti; Porque lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti, e creram que me enviaste. Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus.”

O segredo da oração é orar em secreto. Livros sobre oração são excelentes, mas são insuficientes. Livros sobre cozinhar podem ser muito bons, porém se tornam inúteis se não houver alimentos para se fazer algo prático; assim também é a oração. Pode-se ler uma biblioteca de livros sobre oração e não obter, como resultado, nenhum poder para orar. Precisamos aprender a orar, e para isso, é preciso orar.

Enquanto estiver sentado numa cadeira, pode-se ler o melhor livro do mundo sobre saúde física e, ao mesmo tempo, ir definhando cada vez mais. Igualmente, podemos ler sobre oração, admirar a perseverança de Moisés, ficar espantados diante das lágrimas e dos gemidos do profeta Jeremias – e ainda não estar prontos, nem para o be-a-bá da oração intercessória. Como uma bala de rifle que nunca foi usada jamais apanhará uma presa, tampouco o coração que ora sem carga do Espírito conseguirá em tempo algum alcançar resultados. (L. Ravenhil)

Todas as pessoas enfrentam crises. Cada pessoa pode enfrentar um tipo de crise ou mais, São elas: crises na família, na vida profissional, na saúde e a crise espiritual. Talvez a crise espiritual seja a pior delas, pois ela poderá nos afastar de Deus.

– O Espírito Santo inspira as palavras que são ditas em cada oração que fazemos. Elas saem do nosso coração de forma fácil quando estamos em perfeita sintonia com Deus. E isso que agrada a Deus: a nossa fuga das vãs repetições. Repetições de frases, orações ou “resas” decoradas não agradam a Deus. Ele quer sentir o que sai do nosso coração. Em Mateus 6:7 Jesus disse: “E orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, porque presumem que pelo muito falar serão atendidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidades, antes que lho peçais”.

Seria impossível para os cristãos, no decorrer da história da Igreja, enfrentar os tribunais, as arenas, as fogueiras, os pelotões de fuzilamento, nas prisões, a fome, a sede, a perseguição, a incompreensão, e tantos outros males, se não fosse a certeza de que não estavam sozinhos, mas sentiam uma mão que lhe segurava e uma voz suave a lhes dizer: “coragem meu amigo, pois estou aqui para lhe conceder a vitória, e logo mais estarei contigo!” (W. Bandeira)

Assim, encerrando o estudo desta semana, o Altar do Incenso aponta para o lugar de adoração sincera. É o lugar onde Deus recebe nossas orações. É um tipo de Jesus como nosso fiel intercessor e, também, é um tipo do Espírito Santo que nos auxilia em nossas orações.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– A Oração é tão vasta quanto o próprio Deus – Leonard Ravenhill
– O poder da oração – Wilson Bandeira

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.