A manifestação da glória do Senhor.

II Crônicas 5: 13
E aconteceu que, quando eles uniformemente tocavam as trombetas, e cantavam, para fazerem ouvir uma só voz, bendizendo e louvando ao SENHOR; e levantando eles a voz com trombetas, címbalos, e outros instrumentos musicais, e louvando ao SENHOR, dizendo: Porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre, então a casa se encheu de uma nuvem, a saber, a casa do SENHOR;”

Na adoração, há certas exigências solicitadas de todo adorador. Existem determinados elementos que precisam estar presentes para que a adoração seja realizada em espírito e em verdade. É imprescindível que no adorador flua incessantemente o sentimento de gratidão pela bondade de Deus, dia após dia e, o adorador tem que ter consciência de que ninguém, exceto Deus, pode satisfazer suas necessidades, independentemente em qual esfera da sua vida elas se aplicam.

O adorador sincero e verdadeiro, mesmo tendo seu “débito” quitado com Deus pelo sacrifício de Jesus, isso em relação à condição de pecador, é constrangido a cultivar o sentimento de eterno devedor, só que, agora é em função do motivo que levou Cristo a se sacrificar por nós – O amor com que Ele nos amou. Adoração e adorador devem estar intrinsecamente ligados, mesclados, unidos de forma que possa ser verdadeira, pois, caso contrário, uma pessoa entra e sai de um culto sem, ao mínimo, perceber a glória de Deus.

Como é difícil, nos dias de hoje, incutir nas pessoas o real significado de adoração e qual o seu único e principal objetivo. A adoração que está presente em muitos cultos hoje em dia, não tem nenhuma característica da que é exigida por Deus. Transformaram o culto num espetáculo onde o nome daquele que devia ser ovacionado, nem, ao menos, é citado. As músicas que estão entoando nas igrejas não apresentam nenhum elemento de adoração a Deus, são cantadas por que estão no topo da lista dos “hit’s” do momento. A adoração, nestas igrejas, tornou-se estritamente institucional, não há nela qualquer resquício de espiritualidade.

Em vista disto, muitos cultos hoje em dia, caíram numa “mesmice” religiosa, pelo simples fato de que não entenderam ainda que aquilo que Deus requer dos seus adoradores é a verdadeira adoração e não a realização de cultos repletos de pompas litúrgicas.

O texto bíblico proposto para o artigo de hoje, nos fala do momento em que a Arca da Aliança foi transferida para o templo que Salomão acabara de edificar ao Senhor. A uniformidade com que os levitas adoravam a Deus, não aponta para um grupo de pessoas meticulosamente ensaiados e criteriosamente entonados louvando ao Senhor com os “hit’s” da época, antes, fala de um grupo de pessoas adorando com uma só fé e um só Espírito.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
-Abnegação: Um Elemento na Adoração – George H. Morrison

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.