Jesus, o mediador entre Deus e os homens.

I Timóteo 2: 5
Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.”

Pois bem, tendo visto que a soma total e todas as parcelas da nossa salvação estão contidas em Jesus Cristo – “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”, tenhamos o cuidado de não transferir para outros sequer a menor porção que se possa mencionar.

Se buscamos salvação, só o nome de Jesus já nos ensina que nele está – “Mas vós sois dEle, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”.

Se desejamos os dons do Espírito Santo, em sua unção os encontraremos.

Se procuramos poder, este se acha em seu senhorio.

Se nos preocupa a obtenção de pureza, esta nos é oferecida em sua concepção.

Se é nosso desejo encontrar dulçor e benignidade, temos [esta suave bênção] em sua natividade, pela qual Ele foi feito semelhante a nós – “Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo” para aprender a ser objeto de piedade ou dó – “E possa compadecer-se ternamente dos ignorantes e errados; pois também ele mesmo está rodeado de fraqueza”.

Se clamamos por redenção, nos é dada por sua paixão [e morte sacrificial]. Em sua condenação temos a nossa absolvição.

Se desejamos que a maldição seja removida de nós, obtemos esse benefício em sua Cruz – “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. A satisfação [prestada à justiça de Deus nós a temos em seu sacrifício; a purificação, em seu sangue; a nossa reconciliação é feita por sua descida aos infernos. A mortificação da nossa carne acha-se em seu sepultamento; a novidade de vida, em sua ressurreição, na qual temos a esperança da imortalidade.

Se buscamos a herança celestial, é-nos assegurada por sua ascensão.

Se procuramos auxílio, consolo, fortaleza e abundância de todos os bens, no seu reino os temos.

Se queremos esperar com segurança o juízo, temos juntamente com o juízo o benefício de que Ele é o nosso juiz.

Em suma, uma vez que em Cristo estão os depósitos de todas as suas riquezas, de todos os seus bens, é preciso que dEle os retiremos, não de outros.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– As Institutas da Religião Cristã – João Calvino (Extraído na íntegra)

Compartilhar

2 thoughts on “Jesus, o mediador entre Deus e os homens.

  • 25 de junho de 2019 em 13:33
    Permalink

    Lindo! Por Ele ,e para Ele são todas as coisas. Parabéns pelo seu comentário.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.