A tricotomia do ser humano

I Tessalonicenses 5: 23
E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.

Duas correntes teológicas divergem quanto à composição físico-espiritual do homem. Ainda bem que essa divergência se dá tão somente no campo da interpretação. É apenas uma questão de “ponto de vista”, nada mais. Independente do que ambas interpretam segundo seus conceitos, nada muda em relação à salvação efetuada pela fé em Cristo Jesus. Mesmo por que entre os adeptos de cada corrente existe, também, divergência. Tanto em uma quanto na outra, não há um consenso comum e unânime quanto ao que ensinam. Independente se o ser humano é dicótomo ou tricótomo, Deus agirá da mesma forma.

Contudo, para um melhor e mais apropriado desenvolvimento do conhecimento, é de fundamental importância que entendamos como é, de fato, a constituição do ser humano – dicotomia ou tricotomia? O conhecimento espiritual é muito importante para a vida espiritual. De igual forma é muito importante que o crente seja humilde e se prontifique em aceitar o ensino do Espírito Santo, pois, só assim o Espírito Santo lhe concederá a experiência da divisão do espírito e alma, mesmo que ele não tenha muito conhecimento a respeito desta verdade.

Sendo assim, um crente mais ignorante, sem a menor ideia da divisão do espírito e alma, pode, contudo, experimentar tal divisão na vida real, enquanto que, por outro lado, um crente mais informado e completamente versado na verdade concernente ao espírito e alma, pode desconhecer tal experiência. O ideal é que possuamos tanto o conhecimento como a experiência.

Para entendermos a formação de cada uma das substancias do ser humano, devemos voltar ao ponto de partida – a criação. Quando Deus formou o homem do pó da terra (e, devemos acabar com a ideia absurda de bonequinho de barro, isso não existiu), ou seja, criou um ser composto por todos os elementos da terra, e soprou nele o “folego da vida”, que é o espírito (não é o Espírito Santo), a partir deste instante, o homem foi feito “alma vivente”. Portanto, a alma é a combinação do corpo e do espírito do homem. O fôlego de vida tornou-se o espírito do homem, isto é, o princípio de vida dentro dele. Então, sem qualquer respaldo para questionamentos, está declarado, na criação, que o homem é um ser formado por três substancias – corpo, espírito e alma.

Então, a expressão “formou o homem do pó da terra”, refere-se ao corpo do homem; “soprou em suas narinas o fôlego de vida” refere-se ao espírito do homem, conforme ele veio de Deus; e “o homem tornou-se alma vivente” refere-se à alma do homem quando o corpo foi vivificado pelo espírito e levado a ser um homem vivo e consciente de si mesmo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Antropologia – Pr. Carlos Oliveira

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.