Em Abraão, Deus abençoou todas as famílias.

Gênesis 12: 3
E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra”.

Todos os propósitos de Deus quando postos em execução aparentam ser surreais. Pois, há de se concordar que o convite que o Senhor fez a Abrão foi, no mínimo, estranho e totalmente cercado de incertezas. Ora, como poderia alguém que, até o momento, nunca tinha ouvido falar de YHWH, aceitar o convite inusitado que lhe fora feito e acreditar no que fora prometido? E o pior, é que as promessas estavam fundamentadas numa situação totalmente contrária.

As promessas que Deus fez a Abrão eram, em primeira instância, restritas e intransferíveis. A permanência numa obediência inquestionável era a condição para o cumprimento do que Deus havia prometido – Abrão seria um homem muito próspero se se mantivesse fiel a YHWH. Num segundo plano, as promessas seriam estendidas a todas as famílias da terra tendo como condição principal como Abrão responderia; se comportaria ante a primeira promessa.

À primeira vista, a proposta que Abrão recebeu de Deus era, no mínimo, estranha (por que não dizer “maluca”). Abrão deveria abandonar a zona de conforto e segurança da sua terra natal e do convívio com a parentela para, doravante, viver literalmente na dependência de Deus. Deus não lhe deu nenhuma garantia. Tudo consistia em promessas.

É interessante observar que Deus não deu nenhuma explicação a Abrão de que modo isso seria feito. Ele fez somente uma promessa. Talvez, Abrão tivesse imaginado que a promessa de Deus se limitava ao seu circulo de amizades e que se expiraria com sua morte, contudo, Deus estava falando até aos dias do fim de todas as coisas. Desta forma, somos alcançados hoje, pelas promessas que Deus fez a Abrão há tanto tempo atrás.

Da mesma forma como Deus usou a Abrão e sua família para cumprir seus desígnios, mesmo com todos os erros e decisões equivocadas tomadas no decorrer de toda a história, Ele, por sua misericórdia, deseja usar-nos. Deus quer usar a nós e os nossos familiares para alcançar outras pessoas. Deus nos abençoa para que possamos ser uma bênção para outros, e sua grande preocupação é que o mundo todo seja abençoado. A comissão missionária da Igreja não começa com João 3:16 nem com Mateus 28:T8-20. Começa com a aliança entre Deus e Abraão. Nossa família é abençoada para que sejamos uma bênção.

E, é exatamente isso que o Senhor deseja que façamos com extrema sabedoria vinda do alto – administrar as bênçãos que Ele tem concedido para que o Seu nome seja exaltado e se torne conhecido de todas as pessoas.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Velho Testamento – W. W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.