Jesus nos ordena a amar o inimigo.

Mateus 5: 44
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus

Como escrevi no artigo anterior, a mordomia das obras de misericórdia não implicam exclusivamente em situações de cunho financeiro. Graças a Deus que nem tudo nesta vida depende do dinheiro. Muitas das necessidades da humanidade não estão restritas ao dinheiro para serem saciadas, nem todos os problemas são de ordem econômica. Isso mesmo, muito dos problemas que afligem a humanidade é de caráter sentimental.

O termo “misericórdia”, literalmente, tem o significado de sentimento de compaixão e solidariedade com relação a alguém que sofre uma tragédia pessoal ou que caiu em desgraça. Porém, biblicamente, o termo “misericórdia” não pode ser visto como um mero sentimento, isto é, ser misericordioso não é um estilo de vida esporádico e conveniente que alguém assimila, antes, ser misericordioso é um modo de vida constante onde não se espera recompensa dos homens.

É muito comum ouvirmos algumas pessoas dizerem que ser crente é muito fácil. Sim! Depende do que se entende por ser crente. Por que só os que são crentes de fato é que sabem o quão é difícil obrigar o próprio ego a desocupar o trono do governo da própria vida. Quão difícil e doloroso é renunciar aos desejos e planos que, muita das vezes, foram arquitetados desde a meninice. Quão difícil é abrir mão dos prazeres desta vida para trilhar por um caminho que não sabemos como será o percurso; a única garantia que temos é de que o fim dele será glorioso. Quão difícil é obedecer ao que o Senhor Deus exige de nós, constrangendo-nos, se dando como exemplo a ser seguido, a praticar o que Ele praticou em relação à humanidade.

É fácil ser crente quando somos apenas frequentadores de igreja e não cumprimos as exigências de Deus para com seus filhos. Por que o crente de fato, ainda que toda uma situação esteja contrária aos seus anseios, por amor a Cristo, ele se esforça (sem a intenção de sacrifício) para realizar a vontade dAquele que o salvou. O crente fiel se esforça em cumprir tudo quanto está exigido na Bíblia Sagrada aos que são filhos de Deus. Eu digo se esforça, por que se dizemos que cumprimos tudo quanto a Bíblia prescreve, estamos mentindo, então, diante disso, a melhor expressão é “se esforça”.

Dizer que amamos os inimigos; que bendizemos os que nos injuriam; que fazemos o bem a quem nos odeia; e, que oramos pelos que nos maltratam, é muito fácil quando não estamos, de fato, vivendo essa situação ou, quando muito, isso acontece num fato isolado. Mas a pergunta que não pode calar é: Seríamos obedientes, neste caso, se fôssemos perseguidos como alguns irmãos em outros países? Amaríamos o inimigo estando ele nos fustigando com açoites?

O que Deus espera de seus filhos é que eles sejam misericordiosos e não somente religiosos.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.