A prudência na espera por Jesus.

Mateus 25: 4
Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas”.

Tenho visto, com muita frequência, que o crente a partir de determinado ponto de sua jornada rumo ao Céu, tende a se conformar com heresias que comumente o fazem desviar do seu objetivo principal. Muitos cristãos vivem hoje como o mundo vive em relação à volta de Jesus – por causa da intensa demora, já não acreditam que Ele pode voltar a qualquer momento. Mas, uma coisa é segura e, ainda que demore, e não falhará – “E jurou por Aquele que vive para todo o sempre, o qual criou o céu e o que nele há, e a terra e o que nela há, e o mar e o que nele há, que não haveria mais demora”.

Finalizamos um trimestre onde o estudo proposto serviu para nos fazer enxergar algumas verdades factuais. Embora, alguns continuarão sua jornada com os mesmos conceitos, creio firmemente que muitos foram alcançados pelo precioso ensino ministrado durante este tempo e, prontamente se apressaram e se dispuseram em corrigir o que estava errado. A estes que se preocupam em andar diante de Deus e dos homens de maneira irrepreensível, a Palavra de Deus assegura: “Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração. E acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e do homem”.

É fascinante quando entendemos que a razão da nossa existência está alicerçada no propósito de Deus em conceder a cada pessoa; cada ser humano, a oportunidade de demonstrar sua semelhança com o seu Criador. Semelhança no que diz respeito a caráter, moral e personalidade. É fascinante quando entendemos que Deus não precisava ter criado nada para ser Deus e, que muito menos, precisa fazer alguma coisa extraordinária para provar que existe – Deus sem a obra criada continua sendo Deus.

Eu, a sabedoria, habito com a prudência, e acho o conhecimento dos conselhos”.

Ser prudente não se restringe a ser extremamente cauteloso. A prudência exige sabedoria, pois ser pudente ante as circunstancias que demonstram perigo, denota apenas cautela, mas os que vivem prudentemente, assim o fazem por que já conhecem antecipadamente o que lhes pode sobrevir. O nosso Senhor já nos deu todo o enredo da história e nos inseriu nela para que, sendo conhecedores dos fatos possamos prudentemente reagir.

Ainda sobre ser prudente, a Palavra de Deus nos promete que: “Ouvi a instrução, e sede sábios, não a rejeiteis. Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos (à sabedoria), velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada. Porque o que me achar, achará a vida, e alcançará o favor do Senhor”.

Sendo assim, amado (a) leitor (a), que ao tomar conhecimento do que é ser mordomo do tempo, bens e talentos que o Senhor tão graciosamente nos tem concedido, possamos exercê-la sabiamente.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.