Mantenhamos a fidelidade a Deus, apesar da apostasia reinante.

I Samuel 2: 12-18
Eram, porém, os filhos de Eli filhos de Belial; não conheciam ao Senhor. Porquanto o costume daqueles sacerdotes com o povo era que, oferecendo alguém algum sacrifício, estando-se cozendo a carne, vinha o moço do sacerdote, com um garfo de três dentes em sua mão; … … E, dizendo-lhe o homem: Queime-se primeiro a gordura de hoje, e depois toma para ti quanto desejar a tua alma, então ele lhe dizia: Não, agora a hás de dar, e, se não, por força a tomarei. … … Porém Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho”.

Samuel veio a Israel em uma das horas mais sombrias da nação. Os filisteus, que por um longo período haviam intimidado os israelitas, estavam ameaçando tragá-los. Toda a nação estava vivendo um período de declínio espiritual muito intenso; era um tempo tenebroso, pois o Senhor já não falava mais com o povo pela boca do sacerdote ou profeta. O povo vivia numa miséria espiritual, e acovardados diante dos inimigos. Samuel, o filho oferecido por Ana, ungiu reis, foi o último dos juízes. Desde sua mais tenra infância, ele serviu no Tabernáculo usando uma veste sacerdotal judaica, um éfode de linho, e se tornou o discípulo do velho sacerdote Eli.

Devemos estar cientes de que o declínio espiritual de um povo, ou até mesmo de uma igreja, muitas das vezes, está condicionado à situação espiritual de quem lidera. Israel entrou em declínio espiritual por causa do sacerdote Eli que, já não ministrava diante de Deus com fidelidade e sinceridade de coração. Infelizmente, nós vemos o silêncio de Deus, em determinados momentos de nossa vida, como uma aprovação da condição em que estamos vivendo. Sim! Imaginamos que se não houve repreensão dEle, então, obviamente, Ele está consentindo. Sempre digo que, quando Deus se cala a nosso respeito, isso é razão mais que suficiente para nos apegarmos mais a Ele.

Samuel foi colocado no âmago do problema da nação. A classe religiosa estava totalmente corrompida e, há muito tempo já não se relacionavam com Deus e, cada vez mais, se distanciavam dEle. O povo estava refém nas mãos dos sacerdotes que abusando da sua posição, exploravam inescrupulosamente o povo usando o nome de Deus. O culto a YHWH já não fazia qualquer diferença na vida dos israelitas, pois, o líder religioso, aquele que deveria ser o maior exemplo, já não exercia sua função com honestidade. O, ainda garoto, Samuel deveria conviver com toda essa situação e não se corromper e, de fato, ele não se corrompeu, e por um longo tempo serviu ao Senhor com integridade, conduzindo o povo a um avivamento espiritual.

E, para piorar a situação espiritual de Israel, a Arca da Aliança foi tomada pelos filisteus e, por causa disto, o culto em Siló foi abolido, obrigando a Samuel a erguer um altar em sua casa, em Ramá, e dali ministrava o culto a YHWH bem como julgava a Israel.

É diante do quadro espiritual tenebroso que Israel estava vivendo que Samuel é chamado. A sua missão era reconduzir o povo a viver sob o temor e obediência a Deus. Contudo, como todo ser humano, Samuel não era perfeito e falhou na educação religiosa dos filhos. Depois de muitos anos de uma fiel administração da lei e da ministração da Palavra do Senhor, Samuel cometeu a mesma falha de Eli.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.