O marido deve conviver com entendimento com sua esposa.

I Pedro 3: 7
Igualmente vós, maridos, coabitai com elas (suas mulheres) com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações”.

Conjecturando pelo que as Escrituras Sagradas narram sobre a família de Samuel, podemos deduzir, sem hesitação, que Elcana desempenhou sua função como marido e pai com zelo e dedicação. Em momento algum desprezou Ana com seu problema, antes, a tinha em maior estima e zelo, bem como a auxiliou no cumprimento do seu voto ao Senhor. Numa comparação meio que exagerada, podemos inferir que o sentimento que Elcana nutria por Ana, estava muito próximo de ser o amor “ágape”, pois, ele amava Ana mesmo ela não tendo condições de dar-lhe um filho.

Grande parcela do problema que Ana enfrentava (a esterilidade), pelo comportamento de Elcana, estava amenizado. Mesmo que Ana estivesse com a madre cerrada, Elcana nunca a desprezou ou humilhou, muito pelo contrario, a Bíblia diz que ao repartir as benesses, para Ana a porção era dobrada. E, pelo que a Bíblia relata, creio firmemente, que Elcana não agia assim somente com o intuito de bajular sua esposa. Acredito que sua atitude estava fundada em um sentimento nobre – AMOR. Ana tinha em seu marido um apoio resistente e incondicional.

Para os judeus, os filhos eram uma grande bênção do Senhor – “Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta”, e não ter filhos era um sinônimo de aflição, um juízo da parte de Deus. Para uma mulher, ser estéril era a maior tristeza e vergonha. A mulher nesta condição sentia-se como alguém que tivesse fracassado em relação à sua principal razão de existir, e era vista como alguém que fora ferida por Deus. A despeito da posição social ou de outras bênçãos que tivesse em sua vida, sentia-se profundamente triste enquanto não desse à luz.

Pedro menciona três coisas que o marido deve cuidar em relação a sua esposa: Devem demonstrar consideração e compreensão, convivendo com a esposa com amor e em harmonia com a Palavra de Deus; Devem demonstrar respeito como co-herdeiros da graça de Deus e da salvação. Isso quer dizer que as esposas devem ser honradas, sustentadas, ajudadas e protegidas, de conformidade com as suas necessidades; e, por fim, Devem evitar qualquer tratamento injusto e impróprio para com elas. Pedro indica que o marido que não usa de compreensão com a sua esposa e que não a honra como uma irmã em Cristo, prejudicará o seu relacionamento com Deus, criando uma barreira entre suas orações e Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe
– Bíblia de Estudo Pentecostal

Compartilhar

2 thoughts on “O marido deve conviver com entendimento com sua esposa.

  • 25 de janeiro de 2020 em 16:11
    Permalink

    Muito bom para o desenvolvimento na escolA dominical para nós que estamos aprendendo a ministrar.muito obrigado.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.