Valorizando a mensagem profética da Palavra.

Jeremias 23: 28
O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale a minha palavra com verdade. Que tem a palha com o trigo? diz o Senhor”.

Algum tempo atrás um irmão estava, junto com outros irmãos, numa campanha em um monte e, já no primeiro dia da campanha um profeta, usado por Deus, declarou-lhe o que o Senhor estava preparando para ele. A profecia dizia a respeito de este irmão anunciar tão somente a verdade contida em toda a Bíblia Sagrada. Seu papel era muito similar ao dos profetas do passado, ele seria mal visto e mal quisto e que suas mensagens desagradariam muitos crentes. Imagino que se fosse outra pessoa, imediatamente quando descesse do monte, já ia querer por a profecia em prática, mas, aquele irmão agiu como Maria, mãe de Jesus, guardou tudo no coração, e, no devido tempo, o Senhor começou a usá-lo como havia dito pela boca do profeta.

Não sou de participar de qualquer campanha, mas, agora, creio que naquela campanha era imprescindível a minha participação. Eu pude conhecer e entender com mais clareza como Deus é misericordioso e, até para aplicar sua justiça, Ele alerta o desobediente para que torne atrás em sua rebeldia, a fim de evitar o juízo do Senhor. Aquela era uma campanha, como dizem por aí, de sete “elos” e, já no segundo “elo” o Senhor, usando aquele irmão, advertiu asperamente alguns que ali estavam acerca da forma como estavam conduzindo as suas vidas, tais, pessoas, anunciava este irmão, estavam usando uma máscara de santidade; tinham sobre elas o verniz de um cristianismo supérfluo e incapaz de promover arrependimento; portavam-se como “santas”, mas, viviam na prática da iniquidade. Resumindo,… ao findar aquela campanha, o organizador que era pastor da igreja caiu em adultério. Conclusão, tal irmão, não é convidado para pregar em muitos lugares, pois sua mensagem confronta o pecado das pessoas.

A escolha de Samuel foi determinante para a situação que Israel estava vivendo. O problema não era que Deus não queria falar por Eli, a questão é que Eli já não dava mais ouvidos à voz de Deus. Então, quando o Senhor começou a falar por Samuel, ele entendeu que o Senhor já o tinha rejeitado e que Samuel, agora, seria o parta voz do Senhor. Eli entendeu que a sua “pregação”, ainda que tivesse carregada de conhecimento “teológico”, não produzia coisa alguma em quem a ouvia, pois era uma mensagem encharcada de engano e mentiras. É, exatamente, neste contexto que Jeremias vaticina no trecho que vai do versículo 16 ao 32 do capitulo 23 do seu livro.

A grande maioria dos “pregadores” de hoje não tem nenhum compromisso com a Palavra de Deus. O compromisso que eu me refiro é em discursar estritamente sobre suas doutrinas, verdades e ensinos. O que mais percebemos, nestes ”pregadores”, é a demonstração de um conhecimento que não têm, me refiro a conhecimento doutrinário; uma santidade que não possuem, falo de vida estritamente separada para Deus; uma comunhão que não desfrutam, aponto para a comunhão com Deus e, não com a igreja; e, enfim, por viverem assim, suas mensagens não passam de palha, ou seja, não tem nutrientes para alimentar ninguém; não tem solidez para a edificação de ninguém e, por não terem origem na Luz de Deus, não são capazes de aquecer a alma de ninguém.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.