A verdadeira profecia não traz confusão.

I Coríntios 14: 33
Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos”.

Que triste fim para um homem que ocupava uma posição de privilégio na casa de Deus. A Bíblia não fala muita coisa acerca dos antepassados de Eli e, a grande maioria dos estudiosos acredita que ele era descendente da linhagem de Itamar, filho de Arão. A função de Eli não era algo que poderia ser desempenhado por qualquer pessoa. A pessoa designado para tal função tinha que ter uma vida ilibada diante de Deus e dos homens. A Bíblia não diz quando foi que Eli começou a declinar em sua conduta espiritual, o que sabemos é que o declínio chegou ao ponto de o próprio povo ficar pasmado.

Quando lemos na Palavra de Deus que Eli já não podia enxergar com nitidez, não aponta somente para o aspecto físico da situação, no âmbito espiritual a cegueira era evidente também. E, no âmbito espiritual, a cegueira nem sempre se determina pela falta de visão, ela é determinada pela falta de consciência; de juízo; de senso; e de sabedoria. Eli já não via e nem percebia o agir de Deus nas situações ao seu redor.

A declaração de que nosso Deus não é Deus de confusão, aponta exatamente para o que estava ocorrendo em Israel no tempo de Eli. Pois, a nação tinha ciência de que YHWH era um Deus justo e que não tinha o inocente por culpado e, muito menos o culpado por inocente. Sendo assim, a postura de Eli diante do comportamento de seus filhos estava induzindo o povo a julgar que Deus agia com parcialidade.

Contudo, nosso Deus não age de forma que fiquemos atordoados sem entender ou se manifesta incoerentemente, todos os Seus atos estão em plena conformidade com Suas Palavras. Deus é fiel. Ele é absolutamente digno de confiança; as suas palavras não falharão. Portanto, seu povo pode descansar em suas promessas – “E disse-me o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para cumpri-la”.

Devemos entender que nossa função na casa de Deus não é vitalícia (no sentido de insubstituíveis), exerceremos nossa função enquanto estivermos agindo dentro do que está determinado pelo Espírito Santo de Deus. A partir do momento em que começarmos a agir indevidamente no exercício da nossa função, alguém com mais capacidade e em melhor condição espiritual que nós, será enviado para nos substituir. Deus vela por sua obra e não permitirá que seja maculada por pessoas que se comportam inadequadamente e que “violentem” seu povo, ainda que pareça não haver justiça divina, o Senhor não está indiferente ao que está acontecendo em nosso meio.

As profecias bíblicas estão se cumprindo nitidamente. O tempo do fim está cada vez mais próximo. Os sinais do tempo do fim estão patentes aos olhos dos que “ainda” estão enxergando e, a estes, o Senhor insta energicamente – “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.