A fidelidade é o caminho do êxito verdadeiro.

Mateus 25: 21
E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor”.

Quando o Senhor diz que não “vê” as coisas como o homem vê, Ele está se referindo, entre outras coisas, aos critérios que usa para fazer um julgamento, pois, sem duvida alguma, nosso julgamento a respeito de qualquer circunstância ou situação vai ser sempre estribado naquilo que é aparente. E, o que nosso Deus espera daqueles que o servem é que busquem com grande esforço agir com o próximo, pelo menos no mínimo, como Ele age conosco.

Servo bom e fiel”, que extraordinário modo de ver o comportamento das pessoas. O Senhor, neste caso, poderia elogiar a inteligência e capacidade do servo, mas não, o que Ele viu foi uma pessoa que correspondia exatamente com o que Ele exige. O “bom”, nesse caso, não se aplica à capacidade física ou intelectual de alguém, mas enfatiza a fidelidade e devoção. ”Bom e fiel”, são duas virtudes honestas e sólidas que todos nós podemos ter – tanto os pobres quanto os ricos, tanto os que não receberam instrução quanto os intelectuais brilhantes. Estas são as duas únicas coisas que Deus requer de qualquer pessoa – que ela seja boa de caráter e fiel no serviço.

Bom, diante do que foi exposto podemos concluir, então, que não é o que temos para oferecer (neste caso, aptidões físicas ou intelectuais) que agradará a Deus, mas é como vamos oferecer o que temos. A obra do Senhor não se realiza pela força física do homem, porém, o vigor físico é necessário para que possamos desempenhar o que nos foi comissionado por Jesus. Neste sentido, entendemos que o Senhor se agrada quando “consagramos” a Ele o nosso vigor em função do Seu Reino. Da mesma forma, é com a nossa intelectualidade. Não é o volume de conhecimento que temos que será essencialmente útil à obra de Deus, mas como aplicar esse conhecimento no exercício do evangelismo; ministração da Palavra; nas EBDs; enfim, em qualquer função dentro da igreja por mais “insignificante” que seja.

Samuel pode ter falhado na educação dos filhos, porém, no que tange ao serviço sacerdotal, profético e de juiz, ele foi irrepreensível. Buscou ser fiel a Deus em tudo.

A fidelidade a Deus é impulsionada pela confiança que temos nEle. Confiamos na Sua Santidade, por que sabemos que por nossa fidelidade não seremos lançados de Sua presença e que em um tempo próprio a separação do trigo e do joio se concretizará. Confiamos na Sua Justiça, pois, sabemos que jamais desamparará os que Lhe são fiéis – “… o Senhor teu Deus é o que vai contigo; não te deixará nem te desamparará”. Pode ser que não sejamos livres de alguma situação, porém, confiamos que, ainda que estejamos navegando em um mar sobremaneira revolto, Ele está conosco.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Beacon – Mateus

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.