Jesus escolheu os seus discípulos em oração.

Lucas 6: 12,13
E aconteceu que naqueles dias, Jesus subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos”.

Nenhum líder que está à frente do povo de Deus pode pressupor que será bem sucedido em todas as empreitadas que surgirem, sem o auxilio de Deus. Dos maiores exemplos de vidas estritamente consagradas a Deus, que se fazem registros na Bíblia, Samuel é um deles. E, ninguém que lidera nasce líder, primeiro tem que ser um exímio aprendiz. Mesmo Eli tendo conhecimento da sua rejeição por parte de Deus, ele não abdicou da responsabilidade de instruir Samuel na sucessão do ministério sacerdotal.

Sem duvida alguma esta passagem bíblica é o argumento que muitos líderes de igrejas usam para justificar as más escolhas daqueles que deveriam ser seus auxiliares no governo do povo de Deus – ora! (dizem eles) se até o próprio Jesus errou na escolha dos doze, o que se dizer de nós? Acontece que a passagem bíblica em questão, tem uma mensagem de extrema importância para os líderes de igrejas. É uma mensagem simples, mas sem dúvida alguma, é imprescindível na vida daquele que quer errar menos – “sem oração é impossível sustentar um ministério”.

Se existe algo do que nunca devemos nos esquecer, é que não é uma função na igreja que vai moldar o caráter do crente. Ninguém se converte sendo “nomeado” a obreiro, esta função só deveria ser entregue nas mãos de quem já é convertido. Embora alguns dos discípulos de Jesus, só se converteram algum tempo depois da eleição para o ministério, isso não quer dizer que devamos agir da mesma forma que Jesus, mesmo por que, Jesus na Sua onisciência sabia o destino de cada um. E, para evitar erros absurdos na consagração ou ordenação de obreiros nas igrejas, o Senhor nos deixou escritos quais os requisitos necessários que o candidato tem que preencher.

Orar! Jesus passou uma noite inteira em oração para escolher os doze, para servir de exemplo para nós. E, a mensagem transmitida aqui é: se orando as coisas não saem conforme planejamos, imagine executar um projeto sem tê-lo apresentado diante de Deus. Em outras palavras o que o Senhor Jesus quer nos ensinar, é que a oração não é garantia de que tudo vai dar certo, a oração é, sem dúvida, o caminho para o sucesso, porém no percurso para o sucesso pode haver percalços.

Outro ponto de extrema importância é quando o Senhor orou. Pelo texto vemos que primeiro Ele orou para depois escolher os doze. Ele não separou os doze e orou para que Deus os “iluminasse” e “ungisse” com poder para desempenhar a função. Dos muitos outros discípulos que tinha, Jesus pediu direção do Pai para a escolha de doze. Que exemplo magnífico a ser seguido, porém, infelizmente isso passa despercebido na vidas de muitos.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.