Para fazer a obra de Deus é preciso unção do Espírito Santo.

Lucas 4: 18
O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração”.

ABERRAÇÃO!
Tentei encontrar um termo mais suave para designar as liturgias de alguns cultos nos dias de hoje, mas, sinceramente, não existe outra definição a se dar. A situação não está nada diferente dos dias de Samuel, as pessoas estão se ajuntando para cantarem; fazerem algumas preces; para falarem frases soltas sem nenhuma interpretação ou objetividade; balbuciarem algumas palavras desconexas imitando o dom do Espírito Santo; enfim, faz-se de tudo dentro destas igrejas, menos adorar a Deus.

Até quando as pessoas vão superestimar o simbolismo de alguns elementos usados nas igrejas? Será que não vão entender nunca que o elemento, em si mesmo, não tem poder para efetuar nada em ninguém? Por exemplo, o óleo para unção. Será que ninguém nunca ensinou nas igrejas que o óleo “ungido”, por si mesmo, não tem nenhum efeito miraculoso? Não é o óleo que cura; não é o óleo que liberta; não é o óleo que capacita; não é o óleo que santifica e, muito menos, consagra. Quem faz tudo isso na vida de alguém é o ESPÍRITO SANTO de DEUS através da fé da pessoa, mas não é a fé no óleo e sim em Jesus Cristo. Além de superestimarem o simbolismo do elemento, também, banalizam seu uso ungindo qualquer coisa que apareça pela frente.

Para se realizar a obra de Deus, é imprescindível que haja a unção do Espírito Santo sobre a pessoa. Não estamos falando de óleo “ungido” que se compra em qualquer livraria evangélica, a unção, aqui, tem que ser do Espírito Santo. Sem ela, o crente pode até ser um ótimo orador, contudo, seu discurso não passará de palavras atiradas ao vento. É muito fácil fazer a distinção de um pregador com unção do que está sem unção. O pregador com unção não precisa ficar instigando a igreja a glorificar a Deus, a glorificação é espontânea e é provocada não pelo discurso eloquente, mas pela mensagem edificante, consoladora e salutar que, perceptivelmente, tem origem no Céu.

Para o exercício de qualquer função na casa de Deus (igreja) é imprescindível a unção do Espírito Santo. Ninguém sem esta unção julgue-se estar capacitado, pois qualquer serviço que se realize sem esta unção, não passa de mero esforço humano e que não surtirá o efeito que se espera. E, não adianta despejar litros e mais litros de óleo sobre a pessoa, pois a unção de Deus não se alcança, nem pela quantidade nem pelo óleo em si, mas somente através da pessoa do Espírito Santo.

Diante disto, se você sente que seu ministério está “desabando”, a única solução é através da unção de Deus. A unção não é um ato posicional e definitivo, na Bíblia nós vemos que o sacerdote todas as vezes que ia adentrar ao Lugar Santíssimo tinha que ser ungido, isso denota que a unção, nos dias atuais, tem que ser buscada diariamente. Não que devemos ser ungidos todos os dias com óleo, mas devemos estar ungidos todos os dias pelo Espírito de Deus.

Ainda que tenhamos sido ungidos em nossa consagração ou ordenação, isso não significa que devemos nos valer deste ato simbólico para o resto da vida.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

One thought on “Para fazer a obra de Deus é preciso unção do Espírito Santo.

  • 1 de novembro de 2019 em 08:52
    Permalink

    Texto simples e objetivo. Que Deus tenha misericórdia desses loucos que se banham de óleo e varias vezes se sentem deuses.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.