É sempre perigoso trilhar o caminho da rebeldia.

Romanos 10: 21
Mas para Israel diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente”.

Rebelar-se é opor-se ou resistir à autoridade, neste caso, de Deus. A rebeldia é vista por Deus como um pecado horrível e abominável como o de feitiçaria. A razão pela qual Deus condena todas as práticas de feitiçaria é que elas fazem ferrenha oposição à verdadeira religião. A vida do crente deve estar centrada em uma experiência pessoal com o Deus único, verdadeiro e vivo. Qualquer comportamento nosso que faz, mesmo que superficialmente, oposição aos padrões bíblicos é rebeldia. A rebeldia é um dos principais sintomas de apostasia.

A prepotência e orgulho de Israel fez com que Deus os removesse de uma posição privilegiada. As inúmeras vezes que Deus estendeu Suas mãos para aquele povo socorrendo-o e livrando-o dos inimigos e perigos, induziu-o a comportar-se arrogantemente, julgando que independentemente de seu comportamento, Deus jamais o abandonaria. Contudo, antes de “arrancar Israel do tronco da Oliveira”, Deus acendeu todas as luzes alertando-os do que estava por acontecer. Todos os profetas do passado vaticinaram a mesma coisa, embora num linguajar diferente, mas todas as profecias tinham uma só mensagem – a paciência de Deus está ultrapassando dos limites.
Opor-se ou resistir à autoridade de Deus, aponta para um ato deliberado de desobediência. Desobedecer não precisa ser, estritamente, em todos os sentidos para caracterizar desobediência, antes, em qualquer coisa que desobedeçamos a Deus, estamos agindo com rebeldia. Rebelar-se é desobedecer tendo o pleno conhecimento das “regras”. Saber o que é certo e errado e escolher espontaneamente pelo errado é um ato consciente de rebeldia e, é por isso que a rebeldia é abominável aos olhos de Deus.

Assim como Israel que rotineiramente opunha-se voluntariamente contra o querer de Deus, muitos crentes, nos dia de hoje, tem o mesmo comportamento. A grande maioria das mensagens que se ouve atualmente é que Deus está “lutando” pra levar as pessoas para o céu, sem que elas mesmas tenham em si esse desejo. Nestas mensagens temos a nítida impressão de que Deus mudou de estratégia para povoar o Céu, sim, pois nos dá a entender que se Deus continuasse com o Seu “radicalismo” espiritual, não haveria ninguém para morar no Céu. As próprias mensagens induzem os crentes a se rebelarem. Seria uma atitude mais ou menos assim: “Se o Senhor me quiser assim, amém! Caso contrario, vou morar no outro lugar”. Hoje em dia, o homem está ameaçando Deus de deixa-Lo sozinho no Céu. Chega a ser engraçado se não fosse tão trágico.

O fato de sermos conhecedores doas atributos morais do nosso Deus, deveria ser o suficiente para nos impedir de qualquer ação que causasse nEle reprovação. Podemos até não nos lembrar de todos os Seus atributos morais, porém o fato dEle ser justo é o suficiente para nos fazer estremecer e nos conscientizar da nossa responsabilidade moral e espiritual diante dEle.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.