Na obra de Cristo, lutemos por Cristo.

Filipenses 2: 4 e 21
Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros… Porque todos buscam o que é seu, e não o que é de Cristo Jesus”.

Para não causar alarde aos moradores de Belém, bem como à família de Davi, Samuel não pronunciou nenhuma palavra ao ungir o jovem filho de Jessé, apenas derramou o óleo sobre a cabeça do jovem pastor de ovelhas. Contudo, é uma evidência bíblica que somente profetas, sacerdotes e reis recebiam esta unção. Diante disto, pode ser que até para ao próprio Davi, uma pergunta lhe fustigava incessantemente: – Afinal de contas, fui ungido com que finalidade?

Se houvessem eleições governamentais no tempo de Saul, com toda certeza Davi não seria eleito, aliás, digo com convicção que nem mesmo seria candidato. Davi, antes da unção, não tinha nenhuma inclinação para as questões políticas da sua nação, a sua vocação era pastorear o pequeno rebanho de seu pai. Sem a menor sombra de dúvidas, os sonhos de Davi para consigo mesmo, não extrapolavam os limites de sua capacidade, ou seja, ele não ambicionava coisas extraordinárias, como, por exemplo, a de ser rei sobre Israel.

Apesar de ser Soberano sobre todas as coisas, nosso Deus é cauteloso e zeloso nas obras que realiza. Não havia necessidade de criar alarde e promover, entre o povo, mais dissensões. Afinal de contas, apesar do péssimo caráter como crente, Saul era um bom governante e, em vista disto, a história se encarregaria de fazer com que os propósitos divinos se cumprissem na vida de Davi. Não houve nenhum profeta profetizando acerca do destino que aguardava Davi. Não houve, da parte de Deus, uma profecia especifica neste sentido, foram as pessoas que estavam ao redor do jovem pastor de ovelhas que foram percebendo a característica de líder nele. A postura de Davi em relação aos que estavam ao seu redor, denunciava a finalidade da unção de Samuel – “E as mulheres dançando e cantando se respondiam umas às outras, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém, Davi os seus dez milhares”. Em outra ocasião foram os próprios inimigos que declararam qual era a finalidade do chamado de Deus na vida de Davi – “Porém os criados de Aquis lhe disseram: Não é este Davi, o rei da terra?”

Claro que com o tempo Davi foi tomando conhecimento da razão daquela unção, mas a sua unção como rei só se deu quando estava voltando do exílio, após a morte de Saul. Em primeira mão, ele foi coroado rei sobre os de Judá – “Esforcem-se, pois, agora as vossas mãos, e sede homens valentes, pois Saul, vosso senhor, é morto, mas também os da casa de Judá já me ungiram (coroaram) a mim por seu rei” e, logo em seguida, os de Israel também o coroaram como rei – “Assim, pois, todos os anciãos de Israel vieram ao rei, em Hebrom; e o rei Davi fez com eles acordo em Hebrom, perante o Senhor; e ungiram (coroaram) a Davi rei sobre Israel”.

Davi não era um líder que impunha obrigações ao povo e ficava assistindo de longe, enquanto andou nos caminhos do Senhor, Davi foi um excelente companheiro.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.